Casal gay sírio separado após refúgio sonha com reencontro

Os refugiados Ahmed e Joseph nasceram na Síria, são gays e estão apaixonados.

O relacionamento, no entanto, é mantido à distância.

Joseph vive na Noruega. Já Ahmed aguarda, em Istambul, na Turquia, a decisão sobre o local onde será realocado.

Como eles, muitos refugiados gays enfrentam o mesmo dilema. Sem certidão de casamento, eles têm uma desvantagem em relação a casais héteros no momento de emigrar.

"Ele é a pessoa mais importante da minha vida agora. Ele é a metade que me completa", diz Ahmed.

A ACNUR, o órgão da ONU para refugiados, classifica os refugiados gays como um grupo vulnerável, o que agilizaria o processo de reassentamento.

Mas um pedido pode durar anos para ser aprovado.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos