Presidente da Câmara dos EUA é criticado por post com 'selfie com menos diversidade da história'

  • Instagram/speakerryan

    Selfie foi muito criticada nas redes sociais

    Selfie foi muito criticada nas redes sociais

Uma selfie com estagiários postada pelo presidente da Câmara dos EUA gerou um debate sobre diversidade e "privilégio dos brancos" nos Estados Unidos.

A legenda da foto, publicada pelo republicano Paul Ryan, dizia: "Acho que isso bate o recorde de maior número de estagiários do Capitólio em uma única selfie."

Mas milhares de pessoas repararam que a foto é dominada por pessoas brancas. A foto foi chamada de o "selfie com menos diversidade da história".

"Meu Deus, isso é vergonhoso. NENHUMA diversidade. Uau! Estou chocado com a falta de consciência. Representa todo nosso país", postou um usuário.

"É como um pote de maionese em um balde de creme de leite", disse outro.

"Isso é privilégio branco. Os EUA são o país de pagamentos desiguais, oportunidades desiguais e justiça desigual", acrescentou outro seguidor.

Os estagiários do Congresso americano não costumam ser remunerados, mas a experiência é bastante valorizada no currículo.

Usuários de redes sociais chegaram a fazer montagens para destacar a falta de diversidade na foto.

O assunto repercutiu na convenção do Partido Republicano que confirmou Donald Trump como candidato à Presidência.

"Acredito que a diversidade é necessária dentro do Partido Republicano. Adoraria que a alta hierarquia exibisse diversidade por todo o partido", disse Scherie Murray, líder distrital do comitê nova-iorquino do partido.

Instagram
Usuários fizeram montagens para denunciar falta de diversidade

Subrepresentação

Apesar de o Congresso americano ter, atualmente, sua formação mais diversa, as minorias ainda são subrepresentadas quando comparadas à população do país.

Segundo instituto de pesquisas Pew, 83% do Congresso é branco, enquanto este grupo étnico corresponde a 62% da população americana.

Já outros grupos étnicos (negros, hispânicos, asiáticos e indígenas, por exemplo) estão representados apenas por 17% do Congresso, enquanto são 38% da população.

As minorias étnicas também correspondem a apenas 7,1% da equipe de funcionários sênior do Senado, de acordo com pesquisa do Joint Center de 2015.

"Isso não pode continuar, principalmente em um momento em que os EUA estão mais diversos do que nunca. O Senado precisa começar a refletir essa realidade demográfica", diz A. Shuanise Washington, presidente da fundação Congressional Black Caucus Foundation.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos