Homem pago para fazer sexo com meninas é preso por ordem do presidente do Malauí

Um homem com HIV que diz ser pago para fazer sexo com meninas como parte de um ritual de iniciação foi preso após determinação do presidente do Malauí, Peter Mutharika.

Eric Aniva, um tipo de trabalhador sexual conhecido como "hiena" foi o foco de uma reportagem da BBC publicada na semana passada.

Na entrevista, ele disse que não mencionava sua condição de portador do HIV para quem o contratava.

  • O homem contratado para fazer sexo com adolescentes
  • Por que os imigrantes brasileiros têm a maior incidência de HIV em Londres?

O presidente do país africano afirmou que a polícia deveria investigá-lo e acusá-lo pelos casos de abuso que aparentemente confessou.

"Nós promovemos os valores culturais e de socialização positiva de nossos filhos", afirmou o porta-voz presidencial, Mgeme Kalilani. "O presidente disse que as práticas culturais e tradicionais nocivas não podem ser toleradas neste país."

Em algumas áreas remotas do sul do Malauí é tradição que as meninas tenham relações com um trabalhador sexual conhecido como "hiena" quando alcançam a puberdade, relatou o jornalista da BBC que investigou a história, Ed Butler.

Algumas das meninas têm apenas 12 anos.

Os "hienas" também têm relações sexuais com mulheres viúvas ou casadas que não conseguem engravidar.

'Mal desprezível'

Aniva seria "investigado por expor as meninas ao vírus HIV e seria acusado de acordo com isso", disse Kalilani.

O presidente também ordenou que os pais das meninas e outros homens envolvidos sejam implicados.

"Todas as pessoas envolvidas nesta má prática deveriam ser responsabilizadas por submeter suas meninas e mulheres a esse mal desprezível", disse a Presidência em um comunicado.

'Purificação'

Aniva é bastante conhecido em seu vilarejo. No Malauí, "hiena" é uma alcunha que designa um homem contratado por comunidades em diversas partes remotas do país para providenciar a chamada "purificação" sexual.

Se um homem morre, por exemplo, sua mulher deve dormir com Aniva antes de poder enterrá-lo. Se outra sofre um aborto, de novo a "purificação sexual" é necessária.

Mas o mais chocante é que meninas de Nsanje, no extremo sul do país, são obrigadas a manter relações sexuais durante três dias com Aniva para marcar a passagem da infância à vida adulta - ou seja, logo depois de sua primeira menstruação.

Acredita-se que uma doença ou algum infortúnio fatal poderia acontecer com suas famílias ou com o vilarejo como um todo caso se oponham.

"Muitas das pessoas com quem me deitei são meninas em idade escolar", disse Aniva à BBC.

"Algumas meninas têm 12 ou 13 anos, mas eu prefiro as mais velhas. Todas essas meninas sentem prazer comigo. Elas ficam orgulhosas e dizem a outras pessoas que sou homem com 'H', que sei como dar prazer a uma mulher."

Aniva aparenta cerca de 40 anos (ele é vago quanto à sua idade exata) e tem atualmente duas mulheres, que sabem do seu trabalho.

Ele afirma ter dormido com 104 meninas e mulheres - mas parece ter perdido a conta, uma vez que mencionou a mesma cifra para um jornal local em 2012.

O homem diz ter cinco filhos legítimos, mas não sabe quantas mulheres ou meninas talvez já tenha engravidado. E conta ser um dos dez hienas na comunidade. Os homens recebem de US$ 4 a U$ 7 (R$ 17,20 a R$ 23,10) por cada serviço.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos