Boko Haram divulga vídeo com meninas sequestradas em 2014

O grupo islamista nigeriano Boko Haram divulgou neste domingo um vídeo que mostraria algumas das dezenas de meninas sequestradas em Chibok em abril de 2014.

O sequestro gerou comoção internacional e uma campanha global pedindo pela libertação das estudantes, envolvendo celebridades e altas autoridades em todo o mundo.

No vídeo divulgado neste domingo cerca de 50 meninas são vistas usando véus atrás de um militante do Boko Haram que pede a libertação de combatentes do grupo em troca das estudantes.

Das 276 meninas sequestradas pelo Boko Haram em Chibok, acredita-se que 219 ainda estejam em cativeiro.

Este é o terceiro vídeo que mostraria as meninas desde sua captura.

Nas imagens, o militante do Boko Haram aparece com uma arma pendurada sobre os ombros, fazendo uma suposta entrevista com uma das garotas, que se identifica como Maida Yakubu e diz ser de Chibok.

Ele pede então à menina que faça um apelo ao governo nigeriano para soltar militantes do Boko Haram presos.

"O que eu posso dizer aos nossos pais é que criem coragem", diz ela na língua local, Kabaku. "Falem com o governo para que nós possamos voltar para casa."

Outra menina que aparece atrás no vídeo pode ser vista com um bebê no colo. Teme-se que muitas das estudantes possam ter sido abusadas sexualmente e obrigadas a se "casar" com seus sequestradores.

  • Quais são os atletas mais bem pagos competindo na Rio 2016
  • Tarde demais? Os atletas mais velhos ainda no topo das competições olímpicas

O vídeo também mostra uma cena separada com corpos no chão, que o grupo sugere ser de meninas atingidas por bombardeios promovidos pelo governo.

Campanha

O Boko Haram vem promovendo uma campanha violenta de terror no norte da Nigéria com o objetivo declarado de estabelecer um regime islâmico. Uma facção recentemente anunciou lealdade ao grupo conhecido como Estado Islâmico.

Segundo o correspondente da BBC em Lagos, Tomi Oladipo, o objetivo do novo vídeo pode ser reforçar a pressão sobre o governo nigeriano para negociar a libertação das estudantes, além de tentar mostrar que a operação militar contra o grupo é um fracasso.

Oladipo afirma que o Boko Haram sempre alegou que as estudantes estavam a salvo.

Apesar de buscar ajuda da Grã-Bretanha e dos Estados Unidos, o governo nigeriano não conseguiu encontrar as estudantes e por isso foi muito criticado.

Os militares do país insistiam que sabiam onde as reféns estavam e que resgatariam todas. Até chegaram a afirmam que tinham encontrado algumas delas, mas foram obrigados a negar estas alegações.

Este último vídeo divulgado é o primeiro desde que a rede de televisão americana CNN conseguiu imagens em abril que mostrariam 15 das sequestradas.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos