Brasileiros e franceses travam batalha virtual sobre vaias após final de salto com vara

A final de salto com vara já havia terminado ? com direito à medalha de ouro inédita para o brasileiro Thiago Braz, que quebrou o recorde olímpico. Mas, nas redes sociais, o duelo continuou.

Brasileiros e franceses travaram uma batalha virtual após o término da prova por causa das reclamações do saltador francês Renaud Lavillenie sobre o comportamento do público no Engenhão (Estádio Olímpico).

  • De garoto abandonado pela mãe a herói nacional: ouro de Thiago Braz será 'a imagem' da Rio 2016?
  • Desrespeitosa ou torcida de verdade? 'Olimpíada das vaias' repercute na mídia e redes sociais no exterior

Considerado favorito ao ouro, ele ficou em segundo lugar ao saltar 5,98m, cinco centímetros a menos que Braz (6,03m).

Em um post compartilhado nas redes sociais na noite de segunda-feira, Lavillenie parabeniza o rival brasileiro, mas diz estar "decepcionado" com o que chamou de "total falta de respeito do público".

"Vice-campeão olímpico nesta noite (de segunda-feira) com 5,98m, vencido pelo brasileiro por 6,03m. Dei tudo de mim e não tenho nenhum arrependimento. Uma prova inacreditável!! Só estou decepcionado com a total falta de respeito do público. Isso não é digno de um estádio olímpico. Mas estou contente com esta medalha", afirmou o francês nas redes sociais.

O atleta já havia desabafado em entrevista a emissoras de TV logo após terminar a prova. Chegou, inclusive, a se comparar a Jesse Owens, o lendário velocista negro americano que fez história nos Jogos de Berlim de 1936 ao confrontar a "supremacia ariana" de Adolf Hitler. Owens ganhou quatro medalhas de ouro na ocasião.

"Em 1936, a multidão estava contra Jesse Owens. Não vimos isso desde então. Temos que lidar com isso", disse ele na ocasião.

Mas foi a postagem que realmente dividiu os usuários e provocou polêmica. Enquanto a imensa maioria dos brasileiros descreveu o francês como "mau perdedor", seus compatriotas o defenderam fortemente, alegando que o comportamento da torcida foi "inadmissível".

Um usuário brasileiro escreveu: "Parabéns do Brasil! Mas você precisa ser melhor perdedor, o brasileiro foi campeão por méritos próprios, pare de reclamar dos brasileiros e reconheça sua derrota de forma honrosa".

  • Dificuldades financeiras e jurídicas criam temor de Paralimpíada 'esvaziada' no Rio

Outro usuário, português, apoiou os brasileiros: "No que isso é uma falta de respeito? Se não quer barulho ou vaias, vá ao cinema ou ao teatro. Trata-se de um grande campeão, mas sua aparição midiática é totalmente ridícula".

Já uma usuária francesa rebateu: "Parabéns por esta medalha, Renaud. Que grande campeão você é!!! O brasileiro fez um milagre nesta noite... e a falta de respeito do público foi totalmente inadmissível. Infelizmente, o Brasil é um país de futebol e, fora vaiar os adversários, eles não sabem fazer mais do que isso!! Os nossos jogadores de vôlei (o Brasil venceu da França no vôlei masculino no mesmo dia) passaram pela mesma coisa nesta noite... Obrigada por esta prova!!!

Em uma segunda postagem, horas depois, o saltador francês voltou a alimentar a polêmica ao reclamar novamente sobre as vaias que recebeu. Ele também pediu desculpas pela comparação com Jesse Owens.

"Só para esclarecer as coisas. Falando esportivamente, não há nada o que dizer, o brasileiro foi melhor e eu não o desmereci. Eu dei tudo de mim e não fui nulo, mas o esporte é assim e eu aceito isso sem problemas", escreveu Lavillenie.

"No entanto, eu não aceito receber vaias do público em um santuário olímpico. Acho que minha opinião é compreensível! Mas eu não quero encontrar um culpado e não o procuro. Também me desculpo pela comparação inadequada no calor do momento, não medi minhas palavras".

"Fico com a minha segunda medalha olímpica, de prata, que é minha 15ª medalha internacional desde 2009. Obrigado a todos que me entendem e me apoiam. Muito obrigado! E um obrigado gigante a todos os torcedores franceses que estavam no estádio. Vocês foram maravilhosos. E em relação aos outros, podem se divertir me criticando, isso me faz rir".

Contra a maré

Apesar de brasileiros e franceses defenderem, no geral, seus respectivos compatriotas, houve quem, de ambos os lados, se manifestasse contra o coro nacionalista.

Uma usuária brasileira pediu desculpas pelo comportamento do público. "Desculpe-me por meus compatriotas, Lavillenie. Tenho enorme vergonha deles. Vaiar um presidente é legítimo, vaiar um atleta pego no doping também, mas vaiar todo mundo só por rivalidade não é! Principalmente no atletismo! Parabéns pelo seu desempenho. Espero que você guarde uma imagem melhor do Brasil que a de ontem, no estádio".

Já um usuário francês criticou Lavillenie.

"Eu tenho a impressão de que quando você não ganha, você cria uma polêmica. Aconteceu algo parecido no campeonato europeu. E isso é uma pena. Um simples 'parabéns a meu adversário, ele foi melhor' seria suficiente", acrescentou.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos