Pastor que diz que Deus pune gays com desastres naturais tem casa destruída por inundação

Um pastor americano conhecido por afirmar que desastres naturais são enviados por Deus para punir gays teve a casa inundada por uma enchente, na Louisiana.

Tony Perkins contou que foi obrigado a deixar sua casa em uma canoa com sua família. Ele compartilhou fotos no Facebook e falou sobre o caso em um podcast.

"Isso é uma enchente de proporções quase bíblicas", disse Perkins ao grupo cristão Family Research Council, polêmico por sua agenda anti-LGBT.

"Tivemos que escapar da nossa casa no sábado de canoa. Havia cerca de 3 metros de água na saída da garagem. Nossa casa encheu, nossos carros encheram", disse.

Em 2015, ele entrevistou o pastor extremista messiânico judeu Jonathan Cahn, que lhe disse que o furacão Joaquin, em sua passagem pelo Havaí no ano passado, era um "sinal da ira de Deus".

Na entrevista, Cahn disse que a tempestade era um sinal de que Deus estava bravo com a legalização do casamento gay e aborto e com a relação entre os Estados Unidos e Israel.

Perkins concordou, acrescentando que "Deus está tentando nos mandar uma mensagem".

O pastor, que chegou a concorrer ao Senado americano, também já chamou a pedofilia de "um problema homossexual".

Enchentes

A Cruz Vermelha descreveu a enchente em Louisiana como o pior desastre natural nos EUA desde o furacão Sandy, em 2012.

Treze pessoas morreram nos EUA e milhares ficaram presas em suas casas e carros.

A cantora Taylor Swift doou US$ 1 milhão para as vítimas.

"O fato de tantas pessoas serem obrigadas a deixar suas casas nesta semana em Louisiana é que partir o coração", disse ela.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos