6 razões pelas quais a eleição nos EUA será histórica, independente do vencedor

  • AP

O mundo conhecerá nos próximos dias o sucessor de Barack Obama na Casa Branca.

Porém, qualquer que seja o ganhador, o republicano Donald Trump ou a democrata Hillary Clinton, o resultado desta eleição presidencial americana vai entrar para a história.

Confira a seguir por que esta disputa é tão diferente de todas as anteriores.

1) Idade

Quando Barack Obama assumiu a presidência pela primeira vez, em janeiro de 2009, tinha 47 anos e era o quinto presidente mais jovem da história dos EUA.

O mais jovem de todos até agora é Theodore Roosevelt, que tomou posse com 42 anos e 322 dias, em 1901.

Donald Trump fez 70 anos em 14 de junho. Se vencer, quebrará o recorde que era de Ronald Reagan (69 anos quando assumiu o poder, em 1981).

Já Hillary Clinton completou 69 anos em 26 de outubro. Se ganhar, será a segunda governante mais velha, posição até agora de William Henry Harrison, empossado em 1841.

2) New York, New York

A disputa entre Trump e Hillary é a primeira entre dois nomes de Nova York desde 1944, quando o governador de Nova York, Thomas E. Dewey, enfrentou aquele que viria a vencer: Franklin Roosevelt.

Desta vez, depois de 71 anos, a Casa Branca receberá um inquilino nova-iorquino.

Embora tenha nascido em Chicago, no Estado de Illinois, Hillary foi senadora por Nova York, onde vive desde 1999.

3) Dinheiro, dinheiro, dinheiro

Se Trump for eleito, será um dos candidatos que menos dinheiro gastou na campanha.

Segundo os registros da Comissão Eleitoral Federal dos EUA, até o fim de outubro os gastos dele chegaram a US$ 254 milhões (R$ 796,3 milhões).

Ele também financiou parte da sua campanha - Trump gastou do próprio bolso US$ 56 milhões (R$ 175,6 milhões), de acordo com os dados da comissão.

Ninguém havia gasto tão pouco desde o democrata Al Gore, que em 2000 teve uma despesa de US$ 126 milhões (R$ 395 milhões).

Até o momento, Hillary gastou US$ 513 milhões (R$ 1,6 bilhão) e não deve ultrapassar os US$ 556 milhões consumidos na última campanha de Obama (R$ 1,74 bilhão).

4) Inexperiência política

Uma eventual vitória de Trump será importante porque, em mais de 60 anos, ninguém sem experiência política foi eleito governador, deputado ou senador nos EUA.

O último presidente politicamente inexperiente foi Dwight Eisenhower, em 1953. Antes de ingressar na política, ele havia sido comandante das forças aliadas durante a Segunda Guerra Mundial.

Outro caso foi o do engenheiro Herbert Hoover, presidente de 1929 a 1933.

Por outro lado, nenhum candidato até hoje era proprietário de uma rede de cassinos e hotéis como Trump. Aliás, ele cita como vantagem sua experiência nos negócios e o fato de não estar profundamente ligado ao meio político de Washington.

5) Uma mulher na Casa Branca?

Se vencer, Hillary Clinton será a primeira mulher a presidir os EUA, embora não tenha sido a primeira candidata por um dos principais partidos americanos.

Por duas vezes, mulheres foram candidatas a vice em chapas derrotadas nas eleições - em 2008 (Sarah Palin, vice do republicano John McCain) e em 1984 (Geraldine Ferraro, vice do democrata Walter Mondale).

6) Sucessão democrata

Apenas dois democratas foram sucessores diretos de um presidente também democrata. O primeiro foi Martin Van Buren, que sucedeu Andrew Jackson em 1837.

O outro foi James Buchanan, presidente de 1857 a 1861, depois de Franklin Pierce.

Harry Truman e Lyndon Johnson eram vices e tiveram que assumir por causa da morte dos respectivos presidentes. Ambos venceram as eleições seguintes.

Uma vitória de Hillary, por tanto, teria um importante peso para o Partido Democrata.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos