Vídeos mostram explosões que destruíram últimos hospitais de zona rebelde de Aleppo

Todos os hospitais no leste de Aleppo, na Síria, estão sem condições de operar.

A região voltou a ser atacada pelo governo sírio - com ajuda da Força Aérea russa - após três semanas de trégua.

O leste de Aleppo ainda é um reduto de forças rebeldes.

Os bombardeios aéreos reduziram vários hospitais a escombros.

Dessa vez, talvez não seja possível recuperá-los, dizem os médicos.

Um dos ataques danificou fortemente um hospital infantil.

Os bebês tiveram de ser evacuados e levados de incubadoras para abrigos subterrâneos.

As imagens das câmeras de segurança foram cedidas à agência de notícias americana Associated Press pela ONG Associação de Médicos Independentes (IDA, na sigla em inglês).

Fundada por médicos sírios, a entidade dá apoio a unidades hospitalares em Aleppo.

Os ataques da última sexta-feira atingiram um complexo de quatro hospitais que já haviam sido atingidos dois dias antes.

A ofensiva começou na terça-feira, quando a Rússia, aliada da Síria, realizou ataques aéreos nas províncias de Idlib e de Homs.

Mais de 130 pessoas já foram mortas no norte do país desde então. A guerra civil da Síria já dura mais de cinco anos e matou mais de 400 mil pessoas, segundo a ONU.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos