Paraty teve chuva e mudança brusca no clima na hora do acidente que matou Teori

Uma mudança brusca nas condições do tempo foi registrada em Paraty (RJ) no momento em que o avião que transportava o ministro Teori Zavascki, do Supremo Tribunal Federal, se aproximava da região.

Embora ainda não seja possível relacionar a queda do avião à chuva, a situação climática poder ter influído no cenário, segundo especialistas ouvidos pela BBC Brasil.

De acordo com dados da Força Aérea Brasileira, o bimotor modelo King Air C90, da fabricante americana Hawker Beechcraft, decolou às 13h01 desta quinta-feira do Campo de Marte, em São Paulo.

Seu desaparecimento foi comunicado ao Sistema de Busca e Salvamento Aeronáutico às 14h05. O avião estaria sobre o mar próximo à cidade de Paraty, onde pousaria em um pequeno aeroporto.

Neste mesmo período - entre as 13h e as 14h -, estações meteorológicas instaladas na região registraram "uma mudança brusca nas condições do tempo", segundo a meteorologista Josélia Pegorim, da Climatempo.

A área de Paraty havia registrado chuvas durante a madrugada, mas amanheceu com tempo nublado. Entre as 13h e as 14h, começou a chover, em termos meteorológicos, de forma moderada. Foi registrada uma precipitação de 10,8 milímetros no período aproximado uma hora.

Além disso, o vento que soprava do nordeste, passou a soprar a 20 km/h do oeste para noroeste nesse curto período de tempo. A temperatura caiu de 29,5°C para 24°C na cidade, segundo a Climatempo.

Pilotos ouvidos pela BBC Brasil afirmaram que esse cenário pode ter influído na queda do avião.

Segundo eles, o fator que mais chama a atenção é o início repentino da chuva.

"Isso faz muita diferença, especialmente se o piloto estivesse voando no visual (sem o auxílio de instrumentos)", afirmou um piloto que opera no litoral do Rio de Janeiro, mas pediu para não ter o nome divulgado.

"Quando você está voando sobre o mar e começa uma chuva assim, não dá para ver quase nada e o piloto pode ficar desorientado", afirmou.

O presidente da Associação Comercial de Paraty, Anderson Terra, confirmou que o tempo era ruim na hora provável do acidente.

"Estava chovendo muito mesmo na cidade, o tempo estava péssimo."

Outro piloto ressaltou que, embora seja possível que a mudança climática repentina possa ter influenciado na queda, é muito cedo para concluir qualquer coisa sobre o acidente.

Documentação

A documentação da aeronave da empresa Emiliano Empreendimentos estava em dia.

Segundo os pilotos ouvidos pela BBC Brasil, o King Air é considerado um avião bastante seguro.

Os destroços da aeronave foram encontrados a cerca de dois quilômetros da costa de Paraty. O Corpo de Bombeiros e tripulações de diversos barcos pesqueiros e de turismo auxiliaram nas operações de resgate.

Segundo a FAB (Força Aérea Brasileira), quatro pessoas estavam a bordo da aeronave, entre tripulação e passageiros.

Zavascki morreu no acidente, o que foi confirmado por um de seus filhos, Francisco Zavascki. Até a publicação deste texto, não haviam sido divulgadas informações oficiais sobre as outras vítimas.

Terra disse que equipes de resgate instalaram flutuadores nos destroços do avião e que membros da Defesa Civil disseram que os corpos permanecem nos destroços. Ele esteve no local da queda e disse que autoridades da Marinha avaliam como levar a aeronave para a superfície e depois resgatar os corpos das vítimas.

Ele disse também que podem haver mais que quatro vítimas dentro da aeronave.

Uma equipe de peritos do Terceiro Serviço Regional de Investigação e Prevenção de Acidentes Aéreos, da FAB foi enviada ao local. Policiais Federais também devem investigar o caso.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos