'Tivemos que voltar para mostrar resistência': Manchester Arena abre pela primeira vez após atentado em show

Milhares de pessoas estão participando de um show beneficente na Manchester Arena, na Inglaterra. É o primeiro evento no local após os ataques com bombas em maio, que deixaram 22 mortos.

O músico Noel Gallagher é a atração principal do show We are Manchester ("Somos Manchester"), com participação da banda Courteeners e do poeta Tony Walsh.

O autor do ataque, Salman Abedi, detonou uma bomba caseira na saída de um show da cantora pop Ariana Grande, em 22 de maio.

Para o evento deste sábado, foram reforçadas medidas de segurança na reabertura da arena - como restrições no tamanho das bolsas que poderiam entrar no local.

"Tivemos que voltar para mostrar resistência, para mostrar que não temos medo e que não queremos que Manchester tenha medo", diz Charlotte Campbell, cuja filha Olivia, de 15 anos, morreu no atentado.

"A música era a vida de Olivia. Se ela ainda estivesse aqui hoje, estaria entrando por essas portas conosco, mostrando a resistência dela, que eles podem tê-la pego, mas ela não foi derrotada. Ela está aqui conosco".

Toda a receita do show será destinada ao estabelecimento de um memorial permanente para as vítimas, que será construído pelo novo fundo Manchester Memorial.

Sally Thornton-Heywood, que foi ao show de Ariana Grande com a filha, Tilly, 13, diz que se sentiu "muito emocionada".

"Eu só fiquei pensando naqueles pais, nas crianças e no medo que os tomou", diz.

"Felizmente, nós estávamos do outro lado da arena".

Homenagens

As jovens Jennifer Stuart, de 28 anos, Sophie Chadwick, 27, e Liv Slack, 29, contaram terem se sentido seguras na chegada à arena.

"Estamos aqui pelo que isto significa para Manchester. É sobre reunir as pessoas. As bandas também são fantásicas. E a atmosfera será incrível", afirma Stuart.

"Nós viemos aqui muitas vezes em nossas vidas e continuaremos fazendo isto".

O poeta Tony Walsh absorveu o espírito da cidade ao apresentar o poema "This Is The Place" em uma vigília, no dia seguinte ao ataque.

"Aquela noite foi um momento e tanto, e acho que haverá um ponte entre esta noite e aquele dia", diz Walsh.

"Vinte e duas pessoas perderam suas vidas, centenas foram feridas. Nesta noite, estamos prestando nosso respeito, arrecadando dinheiro para um memorial permanente, e também nos divertiremos".

A apresentação de Noel Gallagher também terá um significado particular - sua música "Don't look back in anger" se tornou uma espécie de hino pela união no pós-ataque, depois que uma multidão começou a cantá-la espontaneamente no memorial.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos