'Como diabos ele conseguiu armas automáticas?', diz irmão de atirador de Las Vegas

  • Reprodução/CBS

    "Ele provavelmente não tinha nem multas por estacionar em lugar errado", disse irmão de atirador a jornalistas

    "Ele provavelmente não tinha nem multas por estacionar em lugar errado", disse irmão de atirador a jornalistas

O irmão do atirador de Las Vegas diz estar "perplexo" com a notícia de que o contador aposentado Stephen Paddock, de 64 anos, realizou o ataque que deixou pelo menos 58 mortos e mais de 500 feridos durante um show em Las Vegas. "Não estamos entendendo o que aconteceu", disse Eric Paddock à TV americana CBS.

"Ele não era um aficionado por de armas. O fato de que ele tinha essas armas é... onde diabos ele conseguiu pistolas automáticas? Ele não tem passagem pelas Forças Armadas, nem nada do tipo", afirmou Eric.

"Ele é só um cara que vivia numa casa em Mesquite (cidade a 130 km de Las Vegas) e dirigia até Las Vegas para jogar. Ele provavelmente não tinha nem multas por estacionar em lugar errado."

Segundo a polícia, Paddock estava no 32° andar do hotel e cassino Mandalay Bay, localizado do lado do espaço onde acontecia um festival de música country. Os policiais usaram explosivos para derrubar a porta do quarto onde ele estava hospedado, mas o atirador cometeu suicídio.

Ele é apontado como o autor do mais letal ataque do tipo na história moderna dos Estados Unidos, superando o atentado na boate Pulse, em Orlando, na Flórida, que matou 49 pessoas em junho do ano passado.

O xerife de Las Vegas, Joseph Lombardo, disse que os investigadores encontraram "mais de 23 rifles" no quarto de hotel onde Paddock estava hospedado desde o dia 28 de setembro.

O FBI , a polícia federal americana, informou que Paddock não tem conexão com o Estado Islâmico ou qualquer outra "organização terrorista internacional". Em pronunciamento na TV, o presidente americano Donald Trump chamou o incidente de "ato de pura maldade".

Trata-se do tiroteio mais letal da história recente dos Estados Unidos, superando o atentado na boate Pulse, em Orlando, na Flórida, em que 49 pessoas morreram em junho de 2016.

Choque

Sons gravados durante o ataque apontavam que teria sido usada uma arma automática, no entanto, é possível que Paddock tenha usado acessórios considerados legais para modificar suas armas para fazer com que tivessem um desempenho próximo ao de armas automáticas.

Isso vai ao encontro dos mecanismos achados em seu quarto de hotel, que poderiam ser acoplados às armas para que elas disparassem centenas de tiros por minuto, informou a agência de notícias AFP.

Segundo o xerife Lombardo, ele era um "homem perturbado que pretendia causar fatalidades em massa". Seu irmão Eric, no entanto, se lembra dele como alguém que não se envolvia em problemas, muito menos com armas.

"Ele não tem ficha policial, ele provavelmente não tem nem multas por estacionar em lugar errado", afirmou. "É como se você me ligasse e dissesse: 'seu vizinho de porta fez isso'. Eu diria: 'a única coisa que eu o vi fazer na vida é cuidar do seu jardim'."

Eric disse que falava ocasionalmente com o irmão por telefone e que, na última mensagem de texto que trocaram, ele fez perguntas banais a respeito da mãe. "Tudo o que temos sobre ele é informação pública, vocês vão encontrar tudo. Não há mais nada."

A família foi informada do tiroteio por telefonemas da Polícia de Las Vegas. "Ficamos chocados. Você acha que é piada. Não fosse pelo fato de que todos os telefones da minha casa, celulares e tudo, tocaram ao mesmo tempo. Se não fosse isso, pensaria que era um dos meus amigos brincando", disse o irmão do atirador.

A polícia chegou a interrogar a filipina-australiana Marilou Danley, de 62 anos, que vivia com Stephen Paddock e foi apontada por Eric Paddock como "namorada" de seu irmão. Ela estava no Japão no momento do atentado e aparentemente não está envolvida, disse a polícia.

Suspeitava-se que ela sabia dos planos de Paddock, porque ele "usou alguns dos documentos de identidade" de Danley ao fazer check-in no hotel.

"Eles poderiam até ter se casado, mas acho que não estavam casados. O que eu sei é que ela é uma pessoa legal, eu a vi três ou quatro vezes. Ela tem uma página no Facebook, ela manda biscoitos pra minha mãe", dsse Eric.

Investidor

Stephen Paddock tinha brevê de piloto para aeronaves pequenas e licença de caça, além de uma ficha criminal totalmente limpa, segundo as autoridades.

Após buscas na casa do atirador, foram encontradas "19 outras armas, alguns explosivos e milhares de balas, além de aparelhos eletrônicos" que estão sendo analisados, informou o xerife Lombardo. Em seu carro, foi achado o composto químico nitratro de amônio, usado em fertilizantes e para fazer bombas.

Seu outro irmão, Bruce Paddock, disse à emissora NBC que seu irmão era um investidor de imóveis multimilionário. Eric Paddock corroborou com isso ao afirmar que Stephen ganhava dinheiro a partir dos apartamentos que havia comprado e gerenciava com a mãe, que mora na Flórida.

Segundo ele, seu irmão gostava de frequentar cassinos em Las Vegas para assistir a shows e apostar. A polícia local disse à rede NBC que o suspeito gastou "dezenas de milhares de dólares" em apostas nos últimos dias.

Ainda não está claro se ele ganhou ou perdeu dinheiro - ou se as apostas têm relação com os disparos na noite de domingo. Não há indícios de que o atirador enfrentava problemas financeiros.

Com dificuldade para encontrar as palavras, o irmão de Stephen Paddock disse diante de sua casa: "Não há nada que eu consiga dizer para as famílias. Como se fala disso? Meu irmão fez isso. É como se ele tivesse atirado em nós. Se ele tivesse matado meus filhos eu não estaria mais perplexo do que estou agora".

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos