'Não sei mais se vai acontecer': brasileiro que se casaria em Las Vegas registra disparos

Um brasileiro que vive nos Estados Unidos e foi a Las Vegas para oficializar o casamento de oito anos com a companheira foi pego de surpresa pelas rajadas de tiros que deixaram mais de 50 mortos e 400 feridos na madrugada desta segunda-feira, no ataque mais letal da história moderna americana, segundo a polícia local.

Em viagem com a mulher, filhos e sobrinhos, Valdivino Neto dirigia quando os disparos começaram. O ataque aconteceu durante o festival de música country Route 91 Harvest. O atirador disparava do 32º andar de um hotel vizinho.

"É bala! É bala! Olha o tanto de gente correndo. É tiroteio", avisou Neto à família, enquanto pedia para que todos se abaixassem no carro.

As imagens foram registradas pela mulher dele, que filmava o movimento na Las Vegas Boulevard, famosa avenida repleta de cassinos e pontos turísticos da cidade.

"Estávamos procurando algo para fazer e descobrimos naquela hora que tinha esse festival. Gostamos de música country e pensamos em ir, era bem provável que entrássemos", disse o morador de Nova Jersey à BBC Brasil.

"A gente não sabia o que fazer, se corríamos ou se ficávamos no carro", afirmou.

"Ninguém quis sair do carro com medo, a gente via as pessoas correndo e sendo carregadas. Então todos abaixaram enquanto eu fiz a volta para fugir no sentido contrário."

Arquivo pessoal
Valdivino Neto diz que planejava ir ao festival com a família
Segundo o brasileiro, que trabalha com instalações de pisos de madeira, era nítido que os disparos vinham do alto, o que tornava a proteção mais difícil.

"A gente sentia que os tiros vinham de cima. As pessoas deitavam no chão, mas não conseguiam se proteger."

Neto e a mulher, uma peruana naturalizada americana, se casariam na tarde de hoje em Las Vegas.

"Estou nos EUA há 12 anos e nós estamos juntos há oito. A gente se planejou para este momento e agora eu nem sei se vai acontecer. Está todo mundo apavorado", disse o brasileiro à BBC Brasil.

Estima-se que mais de 20 mil pessoas estivessem no festival de música no momento dos disparos.

Atirador

Segundo a polícia, o atirador é Stephen Paddock, um homem branco de 64 anos que não tem passagens pelas Forças Armadas ou antecedentes criminais. Ele se suicidou.

Paddock foi identificado como morador de uma cidade vizinha, Mesquite, e estava hospedado no Mandalay Bay desde a quinta-feira.

Os policiais usaram explosivos para derrubar a porta do quarto onde o homem estava.

Fontes da polícia disseram à mídia americana que uma "grande quantidade" de armas foi encontrada no quarto.

À imprensa americana, o irmão do atirador se disse surpreso e afirmou que ele não tinha filiações "religiosas ou políticas".

"Eu não poderia estar mais estupefato", afirmou o homem a jornalistas, em estado de choque. "É como se um asteroide tivesse caído sobre nós. Não faz sentido."

"Ele tinha algumas armas, mas todas eram armas de mão, legais", afirmou. "A vida dele é um livro aberto. Os registros públicos mostram, não há nada. Ele frequentou a faculdade, tinha um emprego ", disse.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos