Pai que ia a formatura acaba em funeral de filha morta em ataque na Somália

  • BBC

    Maryam Abduallahi, 25, estava se preparando para formatura em Medicina na Universidade Benadir

    Maryam Abduallahi, 25, estava se preparando para formatura em Medicina na Universidade Benadir

"Estava tudo preparado", diz Abdullahi Mohamed em alusão à festa de formatura de sua filha, Maryam Abdullahi, uma jovem estudante de Medicina da Somália.

A cerimônia estava marcada para o último domingo, 15 de outubro, e o pai, que mora no Reino Unido, viajava ao país especialmente para isso.

Prestes a embarcar, descobriu que sua filha era uma das 300 vítimas do ataque extremista ocorrido no sábado na capital do país, Mogadíscio, um dia antes da formatura.

"Estava no aeroporto prestes a embarcar quando recebi a notícia de que ela havia morrido", disse à BBC.

Ele acabou comparecendo ao funeral da filha.

BBC
Abdullahi Mohamed mora no Reino Unido e viajava à Somália especialmente para a formatura da filha

Maryam Abduallahi, 25, estava se preparando para sua formatura em Medicina na Universidade Benadir.

A irmã de Maryam, Anfa'a Abdullahi Mohamed, disse ao serviço da BBC na Somália que tentou falar com ela depois da explosão.

"Liguei para o número dela e um jovem atendeu e disse 'sua irmã está morta e seu corpo está no Hotel Safari. Que Alá tenha piedade de você'", contou.

"Nossa família está triste, meus pais estão muito abalados. Que Deus fortaleça nossos corações", disse.

Ela conta que via a irmã como seu exemplo. Abduallahi também gostava de ajudar as pessoas no hospital onde trabalhava e na universidade, assinalou.

"Ela planejava trabalhar em uma clínica para mães e bebês após a formatura. Ela tinha ambição", lembrou.

Além de Maryam, há várias pessoas desaparecidas e as autoridades do país estão enfrentando dificuldades para identificar os mortos, devido à força da explosão.

Entre as vítimas, estão 15 crianças que viajavam em um ônibus escolar quando o caminhão-bomba explodiu.

Voluntários criaram um grupo para ajudar a identificar as vítimas chamado Gurmad252, com uma página no Facebook e um site.

Gurmad significa "venham ajudar uns aos outros" em somali e 252 é o código internacional da Somália.

Arquivo pessoal
Maryam Abdullahi se formaria em Medicina um dia após o ataque que ceifou sua vida na capital da Somália, Mogadício

O ataque

Um caminhão cheio de explosivos foi detonado destruindo hotéis, prédios de governos e restaurantes em uma área movimentada da capital somali, matando pelo menos 300 pessoas e deixando outras centenas feridas.

Duas pessoas foram presas no atentado, que tinha como objetivo atacar o aeroporto internacional de Mogadíscio, onda há várias embaixadas, segundo autoridades locais.

O ataque foi atribuído ao al-Shabaab, um grupo extremista islâmico local e uma das organizações extremistas mais letais do mundo dos últimos anos.

No país, o atentado foi descrito como o "11 de setembro da Somália", em referência ao ataque contra as Torres Gêmeas nos EUA.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos