Como identificar fotos 'falsas'; por exemplo, as compartilhadas após atentado no Egito

  • @alaraby_ar/Reprodução

    Essa foto é de três anos atrás e não do ataque de sexta-feira (24) no Egito

    Essa foto é de três anos atrás e não do ataque de sexta-feira (24) no Egito

Como você pode saber se as fotografias e filmagens que você encontra nas redes sociais depois de um ataque são reais ou não? Na falta de fatos concretos, muitas pessoas - e até veículos da imprensa - recorrem às redes sociais para buscar informações.

O ataque à mesquita Al-Rawda na região do Sinai, norte do Egito, que matou pelo menos 305 pessoas na última sexta-feira (24), não foi diferente.

Logo depois do ataque, o site de notícias Al-Araby compartilhou uma imagem dramática de uma multidão ao redor de um prédio envolvo em fumaça. A manchete dizia: "Sinai: 200 pessoas mortas e feridas em ataque a bomba a uma mesquita". A imagem mostra uma ambulância que é, de fato, egípcia. No entanto, essa imagem não mostra o ataque na região do Sinai no dia 24 de novembro.

Como é possível saber?

Ao fazer uma busca reversa por imagens, nós podemos identificar que a foto foi tirada por um fotógrafo da agência de notícias AFP em 2015. Mostra os primeiros momentos após um ataque a bomba em outra cidade egípcia, que matou oito pessoas.

Para fazer essa busca reversa de imagens, clique com o botão direito na foto e selecione "procurar pela imagem". Você verá outros lugares na internet onde ela aparece.

@mohadboland/Reprodução
Vídeo de suposto interior de mesquita no Egito

E como identificar vídeos falsos?

Outros perfis nas redes sociais compartilharam um vídeo supostamente gravado "durante a explosão da bomba na mesquita Al-Rawda", no Sinai.

Mas este vídeo, na verdade, foi publicado por um usuário do Twitter Mohammad Boland no início de 2015, durante um ataque a uma mesquita xiita na Arábia Saudita.

A versão original do vídeo, que foi exibida na rede americana CNN, tem uma qualidade muito melhor.

A qualidade do vídeo pode se deteriorar quando ele é baixado e, depois, carregado novamente na internet - o que torna mais difícil encontrar o original ao se fazer a busca pela imagem reversa.

A mesquita errada

Outra forma de reconhecer uma foto falsa é conferir as redondezas. Muitos perfis nas redes sociais compartilharam uma foto que mostrava um minarete desabando durante uma explosão. Mas o minarete não era da mesquita no Sinai. Era sim em Mosul.

Se você se deparar com essa foto, compare com o minarete da mesquita de Sinai, abaixo. Claramente não é o mesmo local.

Há muitas imagens genuínas dos ataques devastadores no Sinai e de seus desdobramentos. Mas também há fotos falsas em circulação - e ao clicar nelas com botão direito e fazer sua própria pesquisa de imagem reversa, você pode checar qual é a verdadeira origem da foto.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos