O professor, sua esposa e a foto que gerou milhares de reações de apoio no Twitter

Rozina Sini - Equipe de redes sociais da BBC Mundo

No dia 26 de dezembro, o professor John Struthers, cônsul honorário da Etiópia na Escócia, compartilhou no Twitter uma foto sua com a esposa, Justina. A imagem foi feita em julho de 2017, em uma festa no Queen's Garden de Edimburgo.

Na imagem, Struthers aparece vestido com o típico kilt escocês. Já a esposa estava com um colorido vestido de kente, um tecido tradicional em Gana.

A foto acompanhava uma mensagem sobre a luta contra o racismo.

"Achei que deveria compartilhar... Temos recebido olhares de desaprovação. Estamos cansados. 'Essa é a sua esposa?' e muitos outros atos questionando nossa relação durante mais de 40 anos! Nunca fraquejamos! A melhor forma de lutar contra o racismo é viver a sua vida de cabeça erguida e educando (as demais pessoas)", dizia o tuíte de Struthers.

O comentário do professor sobre sua experiência como parte de um casal interracial encontrou eco em milhares de pessoas. Foram mais de 52 mil likes e 17 mil retuítes.

Struthers comentou depois que "as respostas ao post foram reconfortantes e massivas".

O post parece ter tocado um ponto sensível para outros casais interraciais e as famílias formadas por estes.

O usuário Michael Brown, da cidade de Rocky Hill (Connecticut, EUA) postou uma foto da sua cerimônia de casamento com a esposa, Kehinde, que é nigeriana. "Com certeza, viver uma vida plena é a melhor arma contra o ódio", disse ele.

Também repercutiu muito nas redes uma foto do tuiteiro Jay Smith. Ele postou a imagem de um porta-retrato que mostra seus avós: um homem negro e uma mulher branca.

Para Jay, sua avó "escolheu o amor ao invés da ignorância e do fanatismo". Ela vive hoje com o esposo perto de Liverpool, na Inglaterra.

"Respeito total pelos dois. Minha avó foi deserdada pela família dela no começo da década de 1950 por ter se casado com o meu avô, que veio da Nigéria (ela era do Condado de Mayo, na Irlanda)", escreveu ele.

O militar americano Jeff Price conheceu a esposa em Abuja, Nigéria, quando esteve por lá em 2010. A família vive hoje em Sacramento (EUA).

Price respondeu ao tuíte do professor Struthers elogiando-o pela coragem. Disse, que, nos nove anos de relacionamento com sua esposa, nunca experimentou um "pico de racismo".

"Mas não é como se isto fosse garantido; é algo pelo qual devemos dar graças", disse ele. "Gente como você e sua esposa abriram caminho para nós ao manter a cabeça erguida, educando e vivendo na diversidade", disse ele.

Outro usuário identificado como Will respondeu ao tuíte de Struthers com uma foto de sua família. Eles vivem no norte de Londres, Inglaterra.

"Inspirador. Para nós já são 17 anos. Diversidade é a resposta", disse ele.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

UOL Newsletter

Para começar e terminar o dia bem informado.

Quero Receber

UOL Cursos Online

Todos os cursos