Fotografado com cabelo e sobrancelhas congelados, chinês de 8 anos gera debate sobre pobreza no país

Kerry Allen - BBC

  • Reprodução

As fotos de um menino chinês de oito anos geraram comoção nas redes sociais.

Nas imagens, o estudante aparece entrando na sala de aula com o cabelo e as sobrancelhas cobertos de neve. O semblante do "menino de gelo" viralizou na internet e tem provocado intenso debate sobre pobreza infantil no país.

O pequeno Wang caminha cerca de 4,5 quilômetros para chegar à escola, no condado de Ludian, na província de Yunnan, no sul da China.

A jornada leva uma hora - e, no dia em que a foto foi tirada, a temperatura era de -9 ºC - segundo a agência de notícias estatal chinesa.

Nas redes sociais, muitos usuários enalteceram o esforço de Wang para estudar e alertaram que não está sendo feito o suficiente para ajudar crianças de famílias pobres e áreas rurais do país.

#IceBoy

Em uma das fotos, que viralizaram na segunda-feira, o menino aparece usando um casaco fino e com as bochechas rosadas inchadas, sendo ridicularizado pelos colegas de turma.

Outra imagem revela as mãos sujas e inchadas do estudante, apoiadas sobre uma prova em que aparece a nota 99.

O professor de Wang seria o autor dos registros fotográficos, feitos no dia 08 de janeiro. Ele também teria compartilhado as imagens com algumas pessoas, incluindo o diretor da escola.

Mas elas logo viralizaram na internet e chamaram a atenção da mídia local e nacional.

Milhares de usuários da Sina Weibo, principal rede social do país, compartilharam as fotos usando a hashtag #IceBoy (Menino de Gelo). Uma postagem do jornal People's Daily foi curtida por mais de 277 mil pessoas.

Muitos comentários elogiaram a coragem e perseverança de Wang para chegar até a escola.

"Essa criança sabe que a educação pode mudar seu destino", escreveu um usuário.

Já outros expressaram preocupação, dizendo que sentiam uma dor no coração ao ver, principalmente, suas mãos inchadas e roupas rasgadas.

"Seu rostinho rosado está gelado, e ele está usando tão pouca roupa, realmente dá pena", postou outra pessoa.

Alguns responderam com comentários inflamados dirigidos ao governo.

"O que o governo local de Yunnan está fazendo em relação a isso?", alfinetou.

Já outros pediram ajuda para entrar em contato com o menino com o intuito de doar roupas e dinheiro.

Casa de barro e tijolo

Jornalistas do site Pear Video visitaram o pequeno Wang para ver como ele vivia.

"Sua casa é feita de barro e tijolos e está em péssimo estado", contou o Pear Video.

O site descobriu que o menino é uma "criança deixada para trás" - como milhares de chineses que raramente veem os pais, que se mudam para as cidades em busca de emprego para sustentá-los.

O pequeno Wang mora com a irmã e a avó. Ele quase nunca encontra com o pai, um trabalhador migrante que só volta para casa a cada quatro ou cinco meses. A mãe teria abandonado o filho quando ele ainda era pequeno.

A história de Wang gerou clamor na imprensa chinesa, que chamou a atenção para a necessidade de se fazer mais para ajudar crianças como ele.

Algumas empresas locais já responderam. A televisão estatal CCTV afirmou que a Liga da Juventude Comunista da província doou 100 mil yuan (cerca de R$ 49 mil) para que cada criança da escola possa usar roupas melhores, e para que o colégio melhore seu sistema de aquecimento.Nas redes sociais, muitos usuários disseram esperar que a história de Wang ajude a aumentar a conscientização social sobre a situação de pobreza em que vivem muitas crianças nas áreas rurais do país.

"Ninguém sabe quantas crianças pobres existem, ajudar uma só significa ajudar apenas uma", escreveu SurblueDu, que recebeu 2 mil curtidas pelo comentário.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos