'Você roubou minha inocência': vítimas testemunham contra médico que abusou de ginastas nos EUA

Nesta terça-feira começou nos Estados Unidos mais um julgamento por casos de abuso sexual do ex-médico da Confederação Americana de Ginástica (USAG, na sigla em inglês), Larry Nassar. Ele já foi condenado em dezembro a 60 anos de prisão por posse de pornografia infantil e agora é julgado por ter molestado sete meninas, sendo três delas menores de idade.

Na lista de denúncias contra Nassar, já são 140 mulheres que relatam ter sofrido abusos do médico, incluindo atletas da seleção americana de ginástica, como a estrela Simone Biles, que conquistou cinco medalhas na Olimpíada do Rio de Janeiro.

No julgamento iniciado nesta terça, algumas vítimas estiveram presentes e tiveram a chance de falar a Nassar sobre o trauma pelo qual passaram por causa dele.

"Você convenceu os meus pais de que eu era mentirosa. Usou meu corpo por seis anos para sua própria satisfação sexual. Isso é imperdoável", disse Kyle Stephens, a primeira mulher a denunciar Nassar pelos abusos. "Você é um mentiroso repulsivo", completou.

"Senti que estava perdendo o controle da realidade, comecei a questionar se o abuso tinha realmente acontecido. Para minha própria sanidade, eu me forcei a relembrar os detalhes do abuso, passo a passo, para não esquecer que eu não era uma mentirosa".

"Sentimentos de vergonha, de nojo e ódio de mim mesma me trouxeram depressão, ansiedade, distúrbios alimentares e doenças compulsivas. Talvez você já tenha entendido agora que as meninas não continuam meninas para sempre. Elas crescem e se transformam em mulheres e retornam para destruir o seu mundo", prosseguiu Stephens.

O depoimento dela emocionou quem acompanhava o julgamento.

Stephens contou no tribunal que Nassar abusou sexualmente dela repetidas vezes dos 6 aos 12 anos de idade durante visitas de sua família à casa dele.

Algumas ex-atletas que também foram molestadas por Nassar também se manifestaram no julgamento.

"Nassar roubou minha inocência, privacidade, segurança e confiança", disse a ex-ginasta Jade Capua. Ela reforçou que os abusos que sofreu roubaram sua inocência "cedo demais".

Alexis Moore, outra ginasta vítima de Nassar, afirmou que ele traiu sua confiança. "Ele se aproveitou da minha juventude para abusar de mim centenas de vezes".

Depois, se virou para ele e questionou: "Você está arrependido por suas atitudes e por todas as vidas que mudou para sempre?"

A juíza Rosemarie Aquilina agradeceu pelos depoimentos e elogiou a coragem delas. "Estou realmente orgulhosa de vocês. A cicatriz de vocês se tornou um poderoso alto-falante. Obrigada pela coragem."

Sentença

A juíza deverá dar a sentença a Nassar até sexta-feira.

Ele se declarou culpado, durante uma audiência relacionada ao caso, em novembro, de ter molestado mulheres em casa, na academia de ginástica onde as atletas treinavam e em sua sala na Universidade de Michigan - de onde foi destituído do cargo após as acusações.

Promotores devem pedir pelo menos 40 anos de prisão pelos crimes cometidos por ele.

Donna Markham disse no julgamento que sua filha, Chelsey, cometeu suicídio em 2009, anos depois de Nassar ter abusado sexualmente dela durante um exame médico.

"Tudo começou com ele", disse, descrevendo como sua filha mergulhou no universo das drogas até chegar ao suicídio.

Jessica Thomashow, de 17 anos, afirmou à juíza que o médico abusou dela dos 9 aos 14 anos.

Uma das vezes em que foi molestada foi quando esteve no consultório dele aos 12 anos de idade para ver uma fratura no tornozelo. Nassar cometeu o abuso após ter dito ao pai dela para esperar do lado de fora.

"Eu tenho flashbacks agora quando vejo mãos masculinas e isso me faz sentir assustada e ameaçada", disse ela. "Você me manipulou e manipulou minha família inteira. Como teve coragem?"

Quando ela terminou, a juíza elogiou sua coragem.

"Você está contando sobre como ele te deixou arrasada. Bom, agora ele vai ficar arrasado enquanto você irá se curar", disse Aquilina.

Simone Biles

Principal atleta da ginástica dos Estados Unidos nos Jogos de 2016, Simone Biles se juntou à lista de vítimas de Nassar ao revelar seu abuso pelo Twitter na última segunda-feira.

"Também sou uma das muitas sobreviventes que sofreram abusos sexuais de Larry Nassar", escreveu ela na rede social ao divulgar uma carta contando seu caso.

"Terei que retornar sempre ao mesmo centro de treinamento onde sofri abusos", prosseguiu.

"Mas, ultimamente, tenho me sentido arrasada, e quanto mais tento apagar a voz na minha cabeça, mais forte ela grita. Não tenho mais medo de contar a minha história", ressaltou.

"Durante muitos anos eu me perguntei: 'Fui muito ingênua? Foi culpa minha?'. Hoje eu tenho a resposta a essas perguntas. Não. Não foi culpa minha. Depois de ouvir os corajosos relatos de minhas amigas e de outras sobreviventes, sei que essa experiência terrível não é o que me define", completou ela.

As acusações ao médico vieram à tona a partir do segundo semestre de 2017 e se intensificaram em outubro, quando McKayla Maroney, também ginasta da seleção americana, afirmou ter sofrido abusos por parte dele desde os 13 anos.

Nassar tem 54 anos e passou boa parte do julgamento desta terça-feira sentado sobre as próprias mãos.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos