Atiradores matam 14 estrangeiros em hotel no Afeganistão

Atiradores mataram 18 pessoas, entre elas 14 estrangeiros no Hotel Intercontinental na capital do Afeganistão, Cabul, no último sábado.

Segundo uma testemunha ouvida pela BBC, os autores do ataque, que não tiveram seus nomes revelados por motivo de segurança, buscaram deliberadamente por quem não era do país. "Onde estão os estrangeiros", gritaram. Quatro afegãos também estão entre as vítimas.

A polícia de Cabul confirmou a morte de nove ucranianos, um alemão, um grego e um cazaque. Duas vítimas ainda não foram identificadas. O ministro do Interior disse que uma decisão recente de transferir a segurança do local para uma empresa privada havia sido um erro.

Cerca de 160 pessoas foram resgatadas após tropas afegãs passarem a noite em confronto para reassumir o controle do hotel. Três atiradores foram mortos no cerco, e dez pessoas, entre elas quatro civis, ficaram feridas.

O Talibã, que atacou o mesmo hotel em 2011, assumiu a autoria do ataque. Um porta-voz do grupo extremista disse em um comunicado que teria "matado dezenas de invasores estrangeiros e seus fantoches", de acordo com a agência de notícias AFP.

'Sou afegão'

Os atiradores atacaram o sexto andar do hotel por volta das 21h (horário local), enquanto os hóspedes jantavam.

Eles mataram uma mulher e miraram contra a testemunha ouvida pela BBC, que estava jantando com seu filho. A testemunha gritou então: "Sou afegão".

Um dos atiradores respondeu que eles não matavam afegãos e exigiu saber onde estavam os estrangeiros. Depois, deixaram o salão em busca de mais vítimas.

Haseeb, outra testemunha, disse à emissora Tolo News que dois dos atiradores pediram que fosse servida comida a eles. "Eles estavam bem vestidos. Depois que os servi, eles agradeceram, se sentaram e, em seguida, pegaram suas armas e começaram a atirar. Havia vários corpos ao meu redor."

Imagens mostram hóspedes tentando fugir do hotel pela janela, usando cobertores como corda, enquanto saíam fumaça e chamas do edifício.

Investigação

O governo disse que investigará como os atiradores conseguiram burlar a segurança do hotel, que passou a ser feita por uma empresa há duas semanas.

Segundo o gerente do hotel, Ahmad Haris Nayab, os homens entraram pela cozinha do Intercontinental, que é de propriedade do Estado afegão e considerado um marco de Cabul.

A segurança na cidade foi reforçada em maio do ano passado após um caminhão-bomba matar 150 pessoas, mas, desde então, houve vários outros ataques.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos