PUBLICIDADE
Topo

Conteúdo publicado há
3 meses

Tiktoker criticada por dançar ao lado da mãe internada diz que não houve 'maldade' em vídeo

Vinícius Lemos - @oviniciuslemos - Da BBC News Brasil em São Paulo

27/01/2022 17h02

Stephanie Mecco, de 19 anos, afirma que muitas pessoas não entenderam o objetivo do registro feito em hospital. Para ela, foi uma forma de tranquilizar a mãe durante momento difícil.

Quando visitou a mãe em um hospital em 30 de dezembro passado, a tiktoker Stephanie Mecco, de 19 anos, gravou uma dança ao lado dela. "Eu fiz o vídeo para descontrair e fazer com que ela ficasse mais tranquila naquele momento", diz a jovem à BBC News Brasil.

Soraya Mecco estava internada em decorrência de um câncer em estágio gravíssimo. Ela já havia passado por diversos tratamentos, mas a mulher, de 51 anos, não apresentava mais respostas contra a doença.

Stephanie diz que mesmo com o quadro complicado, acreditava que a mãe logo se recuperaria. A jovem afirma que o vídeo foi uma forma de registrar o momento e mostrar para Soraya posteriormente. "Ela se recuperaria e eu diria: olha como você estava nesse período, mãe", conta a jovem.

Mas horas depois do encontro com os filhos, Soraya morreu. Para homenagear a mãe, que costumava aparecer em seus vídeos nas redes sociais, Stephanie publicou a gravação feita no hospital. "Hoje o ano se encerra e você se foi com ele. Te amo demais, mãe. Descanse em paz. Obrigada por tudo. Um dia nos vemos", escreveu.

O vídeo viralizou, Stephanie conquistou milhares de novos seguidores. "A minha mãe sempre me incentivou a gravar meus vídeos, então a princípio encarei como um sinal de que ela estava bem e que estava me ajudando", diz. A tiktoker fez uma publicação comemorando a repercussão do registro.

Porém, o vídeo passou a ser compartilhado em outras redes sociais e muitas pessoas interpretaram como um desrespeito e também questionaram a comemoração da jovem por ter conquistado seguidores pouco após a morte da mãe.

Entre os comentários, alguns disseram que a jovem era "psicopata", outros que ela era "desprezível" e até falaram que a tiktoker deveria ter morrido no lugar de Soraya.

Para Stephanie, a reação negativa foi injusta e muitos não entenderam que o vídeo era um momento de amor. "Não consigo ver nenhuma maldade ali. Era um momento meu e dela em que tentei fazer de tudo para fazer com que ela ficasse mais calma. A gente enchia a nossa mãe de beijo e falava que ela ficaria boa logo. O vídeo foi só mais uma forma de descontrair", afirma.

'A minha maior incentivadora'

Stephanie diz que a mãe sabia que estava sendo filmada e concordou com o vídeo. "Perguntei se podia gravar um TikTok naquele momento, a abracei e ela fez um sinal positivo com a cabeça", diz a jovem.

"Então, arrumei a posição do celular, comecei a dançar ao lado dela e do meu irmão. A minha mãe até empurrou a cabeça pro lado quando comecei a gravar, como se quisesse me ver melhor. Quando terminei, falei: depois, quando você ficar bem, a gente vai ver isso, mãe", relata.

Entre os vídeos antigos de Stephanie, há diversos nos quais a jovem dança ao lado da mãe. A tiktoker considera que Soraya era a sua melhor amiga e a sua maior incentivadora.

"No começo da pandemia, ela me incentivou a publicar vídeos no TikTok, porque dizia que eu dançava muito bem, e isso me deu forças", diz a jovem.

Soraya sabia do desejo da filha em se tornar uma influenciadora digital. "A minha mãe sempre ficava muito feliz quando meus vídeos tinham muitas visualizações", comenta.

A partir de setembro de 2020, Soraya passou a gravar poucos vídeos ao lado da filha, porque precisou se dedicar intensamente a um tratamento de saúde. Ela foi diagnosticada com glioblastoma de grau IV, um tumor que tem uma grande capacidade de crescer ao longo do tecido cerebral e costuma ser resistente a tratamentos. Anos atrás, o pai dela havia morrido em razão da mesma doença.

Soraya passou por cirurgias para retirar o tumor e fez quimioterapia e radioterapia. "Ela sempre falava que ia vencer e eu realmente acreditava nisso. De toda forma, ela foi uma vencedora por tudo o que passou", diz Stephanie.

Em dezembro passado, os médicos suspenderam os tratamentos de Soraya. "Queriam esperar a imunidade dela subir novamente para tentar um novo tratamento", diz a tiktoker.

O estado de saúde da mulher piorou cada vez mais. "Ela já estava com muitas dificuldades e se locomovia com uma cadeira de rodas", detalha Stephanie.

Depois do Natal, Soraya passou a ter dificuldades para se alimentar e estava cada vez mais fraca. Ela foi internada em um hospital em São Paulo (SP), onde a família mora. As expectativas de que ela sobrevivesse eram consideradas baixas.

Soraya tinha um desejo que já havia manifestado aos familiares: não queria nada que prolongasse a vida dela em uma cama de hospital. "Ela era uma pessoa muito ativa e não gostava dessa ideia de ficar em uma cama de hospital", diz a filha.

"Os médicos proibiram que os parentes chorassem ou demonstrassem tristeza durante as visitas, porque sabiam que isso poderia assustar a minha mãe", comenta Stephanie. Nesse período, segundo a filha, Soraya se comunicava somente mexendo um pouco a cabeça ou apertando a mão levemente.

Em 30 de dezembro, Stephanie e o irmão, de 16 anos, visitaram a mãe. Ela lembra que brincaram, conversaram e beijaram Soraya. Para a jovem, o vídeo compartilhado no TikTok foi um desses últimos momentos de alegria ao lado da mãe.

Durante a madrugada de 31 de dezembro, Soraya morreu. "Ela partiu no tempo dela, dormindo. O meu tio, que estava com ela, disse que acordou e ouviu os batimentos diminuindo e logo chamou os médicos, mas ela já estava morrendo. Somos espíritas e acreditamos que esse era o plano de vida dela, que ela tinha um tempo curto de vida e por isso sempre fez tudo correndo", emociona-se a jovem.

A repercussão do vídeo

Horas após saber da morte da mãe, Stephanie quis homenageá-la nas redes sociais. "Eu postei várias fotos com ela no Instagram, falando da partida dela e dizendo que eu não poderia ser egoísta em querer que ela ficasse daquele jeito. Sabia que ela não queria ficar sofrendo como estava", diz a jovem.

No TikTok, ela compartilhou a dança no quarto do hospital. "Não postei para viralizar ou ganhar algo com isso, postei como despedida", afirma. Nos primeiros dias, diz a tiktoker, a imensa maioria dos comentários eram positivos. "Recebi várias mensagens de pessoas dizendo que estavam emocionadas. Até a minha família gostou", diz.

"Acabou viralizando e eu e minha mãe sempre sonhamos que eu viralizasse com algum vídeo, para atrair um público maior. Por isso, fiz um post agradecendo a ela como se fosse um presente dela", acrescenta a jovem.

Quando começou a receber diversos comentários negativos, Stephanie se assustou. "Alguns trechos do vídeo começaram a viralizar, principalmente porque páginas começaram a compartilhar, e comecei a ser xingada. Falaram até que estava dançando ao lado do corpo da minha mãe, como se ela estivesse morta naquele momento".

Ela afirma que ficou abalada por ter que provar que o vídeo foi feito em um momento de descontração. "Desde que ela começou o tratamento, sempre descontraí a minha mãe. A nossa relação sempre foi assim", justifica.

A jovem também afirma que o irmão não se opôs à dança. "Falaram da cara dele no vídeo, como se tivesse me reprovando. Mas ele me olhou daquele jeito porque o encosto da poltrona dele tombou levemente para trás quando eu me joguei nela", diz.

Mesmo com as inúmeras críticas, Stephanie não se arrepende de ter compartilhado o registro. "Postei como forma de despedida. Vou manter no meu perfil, mas privei os comentários, porque não quero deixar que usem esse vídeo como forma de destilar ódio", afirma.

Nos últimos dias, Stephanie tem retomado as publicações nas redes sociais. "Não vou deixar me abater por tudo isso, porque sei que a minha mãe queria me ver bem", afirma a jovem. Estudante de publicidade e propaganda, a jovem mantém o sonho de viver como influenciadora digital. "Talvez consiga viver disso um dia", comenta.

Em meio a toda a repercussão das últimas semanas, ela ganhou mais de 150 mil seguidores em janeiro (ao todo, ela já tem mais de 255 mil) no TikTok, plataforma na qual o vídeo de Stephanie no hospital acumula mais de 17 milhões de visualizações.


Sabia que a BBC está também no Telegram? Inscreva-se no canal.

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!

https://www.youtube.com/watch?v=0ECUiXXT8FA

https://www.youtube.com/watch?v=RJ0YcA7W6fA

https://www.youtube.com/watch?v=GXlXLxyY_dM