Por sobrevivência, Hillary ataca Obama em debate na TV

A senadora e ex-primeira-dama Hillary Clinton partiu para o ataque contra o senador Barack Obama, seu rival na disputa pela candidatura à Presidência dos Estados Unidos pelo Partido Democrata, em um debate televisivo na noite do sábado, três dias antes das eleições primárias do Estado de New Hampshire, consideradas chave para a sobrevivência de suas pretensões de chegar à Casa Branca.

AFP
Do palco, Hillary Clinton e Barack Obama cumprimentam simpatizantes na platéia antes do início do debate de sábado à noite
REPUBLICANOS: ROMNEY É ATACADO
OBAMA LIDERA PESQUISA
Na quinta-feira, Obama conseguiu uma vitória considerada por muitos surpreendente na primeira prévia à escolha dos candidatos, vencendo o caucus (espécie de assembléia) do Estado de Iowa e deixando a ex-primeira-dama em terceiro lugar, atrás do ex-senador John Edwards.

Duas pesquisas de opinião divulgadas neste domingo mostram Obama e Hillary disputando palmo a palmo a preferência do eleitorado do Estado de New Hampshire, mas uma terceira pesquisa, divulgada no dia anterior, colocava o senador dez pontos percentuais à frente.

Antes do início das prévias, Hillary era apontada como favorita absoluta para a candidatura do Partido Democrata.

Consistência
Durante o debate, Hillary atacou Obama por sua suposta falta de consistência, mas o senador conseguiu se manter firme e seguro.

Ela o acusou de mudar constantemente de posição sobre os principais assuntos da campanha. "Ele poderia ter um ótimo debate consigo mesmo", disse ela.

Obama negou a acusação e disse que Hillary tentava distorcer os fatos por conta da proximidade da votação em New Hampshire.

O senador também recebeu uma ajuda durante o debate de John Edwards, que afirmou: "Eu não ouvi esse tipo de ataque da senadora Clinton quando ela estava à frente. Agora que ela não está mais, nós escutamos isso".

Para o correspondente da BBC em Washington Justin Webb, "Hillary Clinton está lutando por sua carreira política neste fim de semana".

Republicanos
Entre os pré-candidatos do Partido Republicano, as atenções estão voltadas ao senador John McCain, apontado no passado como favorito, mas cuja pré-candidatura havia perdido fôlego nos últimos meses.

Agora ele parece novamente em alta, liderando as pesquisas para as primárias de New Hampshire.

O ex-governador do Arkansas Mike Huckabee, cuja vitória no caucus de Iowa provocou surpresa, não parece em condições de repetir o desempenho em New Hampshire, deixando a disputa mais aberta entre os republicanos.

Quatro pré-candidatos do Partido Democrata e seis do Partido Republicano participaram na noite de sábado dos debates televisivos transmitidos pela rede ABC.

Prévia "esquecida"
Ainda no sábado, outro pré-candidato republicano, Mitt Romney, venceu o "esquecido" caucus do Estado de Wyoming.

Tradicionalmente a prévia de Wyoming costuma atrair menos a atenção dos candidatos e receber menos destaque na imprensa do que as outras, já que é o Estado menos populoso e colabora com menos delegados na definição do nome dos partidos à Casa Branca - apenas 12 em quase 2,4 mil.

Poucos candidatos fizeram campanha no Estado e os mais cotados para conseguir a indicação do partido - o ex-prefeito Rudolph Giuliani e John McCain - não conseguiram eleger nenhum delegado.

O caucus do Partido Democrata no Wyoming acontece somente em março.
As convenções que definirão oficialmente os candidatos de cada partido, com a participação dos delegados escolhidos nas prévias de cada Estado, acontecem somente em agosto e setembro.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos