"Amigo", de Roberto Carlos, vira hino fúnebre na Colômbia

Pablo Uchoa
Enviado especial da BBC Brasil à Colômbia e ao Equador

Um sucesso de Roberto Carlos virou uma espécie de "hino à amizade" na Colômbia, onde é cantado em despedidas, homenagens e até velórios.

Quinze anos depois de sua gravação, "Amigo" (1993) -versão em espanhol de Sérgio Bardotti para "Amigo" (1977)- continua vencendo o tempo e fazendo sucesso entre colombianos, segundo pôde constatar a reportagem da BBC Brasil, em Bogotá.

20.jul.2001 - Folha Imagem
Músicos tocam "Amigo", de Roberto Carlos, durante enterro na Colômbia
TRÁFICO DESAFIA SEGURANÇA
REFORÇO DO PODERIO MILITAR
BRASIL É REFÚGIO INACESSÍVEL
A boa aceitação do "rei" reflete o sucesso de artistas populares brasileiros nos mercados da América do Sul.

No dia-a-dia, a proliferação das versões em espanhol de canções românticas brasileiras, assim como turnês de músicos brasileiros, contrasta com a rara presença da cultura hispano-americana no mercado do vizinho maior.

"Amigo"
Entre os artistas brasileiros, Roberto Carlos é um dos que há mais tempo faz sucesso na América do Sul. Em 1992, foi cercado por uma multidão em Mar del Plata, no Uruguai, e coberto de beijos, segundo sua assessoria.

Neste ano, a agenda do "rei" até o meio do ano inclui o lançamento de seu novo CD em espanhol, com um show na Argentina, e uma turnê por Peru, Colômbia e Equador.

Públicos de diversas gerações chegaram a ensaiar os trechos iniciais de "Amigo del alma": 'Tú eres mi hermano del alma realmente el amigo/ que en todo camino y jornada está siempre conmigo'.

A aposentada Dora Rey diz que "Amigo del alma" é um "hino" na Colômbia.

"Aqui, quando esse hino é tocado, é sinal de respeito", conta Dora. "Dedica-se (a canção) a um amigo especial, um parente especial, aos pais."

Aos 19 anos, o estudante Sergei Gómez também afirma ter cantado a versão espanhola de "Amigo" muitas vezes ao longo da vida.

"Em meu colégio, cantávamos essa música para as despedidas dos amigos que terminavam a escola secundária. A letra é muito bonita e fala das vivências e dos momentos que se desfruta com os amigos, do que é a amizade."

Já o médico Álvaro Trujillo, que lamenta o pouco sucesso das músicas tradicionais e afirma que "o rock não deveria existir", elogia a beleza da canção de Roberto Carlos, e diz que por isso a obra passou a ser "solicitada" até em enterros.

"Essa música é ouvida nas ruas, falam dela. E se morre um amigo próximo, às vezes o enterram com esta música, às vezes a solicitam. Muitas vezes, porque ele gostou durante a vida."

Mas nem todos os colombianos concordam com a coroação do "rei" Roberto. Para Kelly Marlene, que se descreve como "mais ou menos da década de 70", as músicas do passado trazem nostalgia.

"Há músicas que voltam à moda, mas as músicas de hoje são mais animadas. Escutar essas músicas antigas entristece a alma."

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos