Comentários de pastor foram 'ultrajantes', diz Obama

O senador Barack Obama, pré-candidato democrata à presidência dos Estados Unidos, disse nesta terça-feira que os mais recentes comentários do reverendo Jeremiah Wright, que foi pastor de Obama por mais de 20 anos, foram "ultrajantes".

Na segunda-feira, Wright voltou a defender o conteúdo de um de seus sermões, nos quais afirmou que os ataques de 11 de setembro de 2001 foram gerados pela suposta política externa belicosa do governo americano.

Em um evento realizado em Washington, Wright afirmou: "Não se pode fazer terrorismo a outras pessoas e esperar que isso nunca se volte contra você".

O pastor também voltou a afirmar que o governo dos Estados Unidos poderia ter criado o vírus da Aids como uma prática genocida. "Baseado no que aconteceu com africanos neste país, eu acredito que nosso governo é capaz de qualquer coisa", disse Wright.

Elegibilidade No início de março, assim que a mídia americana passou a veicular regularmente sermões realizados por Wright que supostamente incitariam as divisões raciais no país, Obama realizou um elogiado discurso sobre a questão racial nos Estados Unidos.

No entender de Wright, a tentativa do político de se distanciar dele se deu mais por oportunismo político do que por convicção.

"Nós sabemos que, se o senador Obama não tivesse dito o que disse, ele não seria eleito", afirmou Wright. "Políticos dizem o que dizem baseados em elegibilidade e em pesquisas." Obama retrucou dizendo que os comentários de Wright sobre Aids foram "ridículos" e que a acusação de que ele agiu por astúcia política foi uma "amostra de desrespeito" e "um insulto" ao que ele tem procurado fazer na campanha.

"Quero deixar bem claro que o reverendo Wright não fala por mim, não fala por nossa campanha", disse o pré-candidato democrata. "Não posso impedi-lo de seguir fazendo estes comentários ultrajantes." Estragos O senador acrescentou que julga as afirmações do reverendo "aterradoras". "Elas contradizem tudo aquilo que eu sou", acrescentou. Obama fez as críticas ao pastor nesta terça-feira, e as declarações do senador foram muito mais veementes do que a que a resposta inicial que ele deu às afirmações do reverendo na segunda-feira.

A reação mostra uma clara tentativa da campanha de Obama de tentar minimizar os estragos feitos por Wright à candidatura do senador.

Comitês estaduais republicanos em dois Estados, Mississippi e Carolina do Norte, que realizará suas primárias no próximo dia 6 de maio, já veicularam anúncios de televisão em que associam o discurso do reverendo à campanha de Obama.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos