Quênia decreta feriado pela vitória de Obama nos EUA

O Quênia decretou quinta-feira um feriado nacional em comemoração à vitória de Barack Obama, filho de um queniano, nas eleições presidenciais americanas.

O anúncio foi feito pelo presidente queniano, Mwai Kibaki, em sua mensagem de congratulações a Barack Obama, afirmou o seu porta-voz, Isaiya Kabira, nesta quarta-feira.

Os moradores da aldeia de Kogelo, onde nasceu o pai de Obama, dançaram e cantaram pouco depois de divulgados os resultados das eleições nos Estados Unidos.

Mesmo separado de Washington pelo oceano Atlântico e por uma distância de 13,5 mil quilômetros, o pequeno povoado celebrou o sucesso de quem considera um filho da terra. Na casa de Sarah Onyango, avó de Obama, foram colocadas televisões especialmente para acompanhar o processo de votação nos Estados Unidos.

Como não há energia elétrica na área, muitas casas não possuem televisores. Um boi foi morto no vilarejo, que se prepara para um grande churrasco de comemoração.

Lista de pedidos Crianças com uniformes escolares azuis deixaram a escola para participar dos festejos. Várias delas, alunas da Escola Primária Senador Obama-Nyangoma - rebatizada após a visita de Obama em 2006 - têm uma lista de pedidos para o presidente eleito.

Eliud Ochieng, de 16 anos, quer novas instalações e carteiras para a escola. Vários moradores de Kogelo esperam que uma Presidência de Obama se traduza em desenvolvimento para a área.

Outros, satisfeitos por já terem uma reforma do centro comercial em andamento, admitem que isso pode não acontecer e se conformam.

"Ele é nosso amigo e nós o amamos. Qualquer coisa que nos der, ficaremos agradecidos", disse Augustine Oduor.

Eleição paralela Em uma cidade próxima, Kisumu, um grupo de jovens realizou uma eleição paralela, com seis urnas colocadas em diferentes áreas.

Lawrence Oyange, do grupo de humoristas Big Time Comedians, disse que mais de 2 mil pessoas votaram para o próximo presidente dos Estados Unidos e a vitória de Obama era prevista com facilidade.

Em janeiro, a cidade foi palco de choques entre populares e a polícia, depois que distúrbios eclodiram com a contestação do resultado das eleições no Quênia.

Nos últimos meses, vendedores aproveitaram a febre de Obama para vender lembranças como camisetas e relógios de parede com referências ao então candidato presidencial americano.

Hotéis, bares e lojas têm o movimento estimulado pela presença de jornalistas estrangeiros e outros visitantes.

Foi criado inclusive um coquetel com vodca, suco de fruta, menta e soda chamado "Obama Kiboko Yao" (Obama é o melhor).

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos