Paquistão oferece apoio incondicional ao governo da Índia

O governo do Paquistão ofereceu, neste sábado, apoio incondicional ao governo da Índia nas investigações sobre os atentados em Mumbai. Em um discurso depois de um encontro de emergência com membros do governo paquistanês, o ministro das Relações Exteriores, Shah Mehmood Qureshi disse que o Paquistão pretende ajudar o governo indiano "em todos os níveis". Qureshi condenou os ataques e classificou o incidente como "um ato cruel de terrorismo". O ministro disse também que a Índia ainda não forneceu nenhuma prova do suposto envolvimento de paquistaneses nos ataques. Os ataques coordenados em Mumbai, realizados em sete locais diferentes, deixaram pelo menos 195 mortos e mais de 300 feridos.

Envolvimento O ministro das Relações Exteriores da Índia, Pranab Mukherjee, declarou durante a semana que há indícios de que paquistaneses poderiam estar envolvidos nos ataques.

Além disso, autoridades indianas afirmam que o único atirador sobrevivente, que está sob custódia polícia, seria de origem paquistanesa. Na quinta-feira, o primeiro-ministro da Índia, Manmohan Singh, prometeu adotar "quaisquer medidas que sejam necessárias" para encontrar os responsáveis pelos ataques em Mumbai. O primeiro-ministro afirmou ainda que os responsáveis são "de fora do país" e foram à Índia "com a determinação de criar caos na capital comercial do país". Ele também alertou que a Índia não irá tolerar que extremistas usem países vizinhos como base para lançar ataques contra alvos indianos.

Neste sábado, Singh se reuniu com chefes do serviço de inteligência e das Forças Armadas para discutir os atentados.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos