Grécia vive dia de novos protestos violentos

Manifestantes arremessaram coquetéis molotov e pedras na polícia em frente ao Parlamento da Grécia, na capital Atenas, nesta quinta-feira.

Sindicatos forçaram o cancelamento de vôos e o fechamento de escritórios no 13º dia de protestos contra o governo grego desde que a polícia matou um adolescente a tiros.

Jovens empunhando bandeiras vermelhas entraram em choque com a polícia, que formou um cordão de isolamento ao redor do Parlamento, protegendo também uma árvore de Natal que os manifestantes tentaram queimar na praça. A polícia lançou gás lacrimogêneo na multidão para tentar dispersar os manifestantes. Estima-se que cerca de 7 mil jovens participaram dos protestos desta quinta-feira. Paralisações Manifestações de sindicatos, estudantes e professores também foram realizadas em outras partes da Grécia, incluindo a cidade de Salônica, no norte do país, Lamia, no centro, e a ilha de Creta.

Uma paralisação de três horas de funcionários públicos também forçou o cancelamento de todos os vôos durante o período, com exceção de vôos emergenciais. O transporte público também foi paralisado, e médicos e professores abandonaram as funções, repetindo em menor escala a greve geral da semana passada.

Os confrontos recentes começaram depois que o adolescente Alexandros Grigoropoulos, de 15 anos, foi morto por um policial em Atenas.

O episódio serviu para aumentar a insatisfação em relação ao desemprego entre os jovens e à crise econômica na Grécia. Os protestos já causaram prejuízos de centenas de milhões de euros em Atenas e abalaram um governo que tem uma frágil maioria de apenas um assento no Parlamento.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos