Democrata-cristão Rompuy formará novo governo belga

O democrata-cristão flamengo Herman van Rompuy aceitou o pedido feito pelo rei Alberto II, da Bélgica, para formar um novo governo. O anúncio foi feito através de um comunicado do Palácio Real. Rompuy, atual presidente da câmara baixa do Parlamento, deve substituir o premiê Yves Leterme, que entregou sua renúncia no início de dezembro após seu governo ter sido acusado de influenciar uma decisão judicial no escândalo do banco Fortis. Segundo o correspondente da BBC em Bruexelas Oana Lungescu, Rompuy deve manter a coalizão entre os cinco partidos do país, aprovada pelo Parlamento em março. Ele disse ainda que Rompy é visto como um candidato ideal para ajudar a Bélgica a lidar com a atual crise financeira, já que foi responsável pelo orçamento do país durante o primeiro governo de Jean-Luc Dehaene e conseguiu reduzir as dívidas públicas. De acordo com Lungescu, a indicação de Rompuy para formar um novo governo é uma tentativa de encerrar a crise política do país, agravada com a renúncia de Leterme. Divisão A tarefa de formar um novo governo na Bélgica nunca foi fácil. Com 10 milhões de habitantes, o país está dividido em três comunidades - determinadas por seus três idiomas oficias (flamengo, francês e alemão) - e três regiões geográficas, Flandres, Valônia e Bruxelas.

Em março, a aprovação, pelo Parlamento, de um novo governo de coalizão entre os cinco partidos belgas, liderados por Leterme, pôs fim a nove meses de um impasse político entre os partidos francófonos e flamengos que deixou a Bélgica sem governo formado durante seis meses e com governo provisório durante três.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos