Corte determina retomada de processo contra Jacob Zuma

Uma corte de apelações da África do Sul determinou que o processo por corrupção contra o líder do partido Congresso Nacional Africano (CNA), Jacob Zuma, seja retomado.

Um juiz revogou uma decisão, tomada em setembro de 2008 por outra corte, de derrubar as acusações contra Zuma, dizendo que ela havia "passado por cima" de sua autoridade.

O CNA afirmou que Zuma vai continuar a liderar o partido durante as eleições gerais, previstas para este ano, mas ainda sem data confirmada.

Com isso, ele segue como o principal favorito para ser o próximo presidente do país.

'Alternativas' Segundo o partido, Zuma vai manter o direito de "tentar todas as alternativas previstas pela lei".

De acordo com o correspondente da BBC em Johanesburgo, Peter Biles, isso significa que o líder poderá recorrer a mais alta corte da África do Sul.

Zuma disse que só vai renunciar à vida pública se for condenado. Ele também poderá ser processado mesmo se se tornar presidente.

As 16 acusações contra Zuma incluem corrupção, lavagem de dinheiro e chantagem, e se referem a uma polêmica transação de armas ocorrida em 1999. Em 2006, Zuma foi inocentado de uma acusação de estupro.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos