Mais de 90% dos iranianos apóiam indústria nuclear, diz pesquisa

Mais de 90% dos iranianos acham que seu país tem o direito de desenvolver uma indústria nuclear, segundo uma pesquisa encomendada pela BBC e divulgada nesta quarta-feira.

Entre os entrevistados para o levantamento, 94% disseram apoiar o desenvolvimento na área, apesar das objeções da comunidade internacional.

Diversos países, entre eles os Estados Unidos, acusam o Irã de usar seu programa nuclear para desenvolver armas atômicas - algo que o governo de Teerã nega.

Apesar do forte apoio à indústria nuclear no país, apenas metade dos iranianos ouvidos se disse confortável com a idéia de seu país ser capaz de fabricar uma bomba nuclear.

A pesquisa entrevistou 4.163 pessoas no Irã e em outros países no final de novembro. Problemas Ao responder quais eram os dois principais problemas enfrentados pelo Irã atualmente, 45% dos entrevistados afirmaram ser desemprego e pobreza.

Apenas 1% dos participantes disseram que o maior problema é a tensão entre o país e os Estados Unidos, e um número semelhante respondeu que eram a falta de democracia e a necessidade de reforma política.

A pesquisa também entrevistou pessoas em outros países. Um terço dos britânicos, 18% dos americanos e 88% dos paquistaneses disseram concordar com o direito do Irã de poder desenvolver uma indústria nuclear.

De acordo com o levantamento, 41% dos iranianos pensam que o novo presidente americano, Barack Obama, deverá melhorar as relações entre os dois países. Nos Estados Unidos, esse índice foi de quase dois terços dos entrevistados.

TV Persa Os resultados da pesquisa foram divulgados no momento em que a BBC lança seu canal de TV em persa, destinado ao público do Irã, do Afeganistão e do Tadjiquistão.

O novo canal de TV via satélite, que iniciou suas transmissões nesta quarta-feira, tem oito horas de programação diária, sete dias por semana, em horário nobre, mas só poderá ser assistido no país por aqueles que têm antena parabólica.

Segundo o diretor do Serviço Mundial da BBC, Nigel Chapman, milhões de iranianos têm parabólicas e a demanda pelo novo canal é grande.

No entanto, Teerã considera o canal uma "ameaça a segurança" do país e não deu permissão para que a BBC realize qualquer operação de produção para o novo canal em território iraniano.

"Nós não consideramos essa rede adequada para a segurança do país e tomaremos as medidas necessárias em relação a ela", disse o ministro de Inteligência do Irã, Gholamhoseyn Mohseni-Ezhei, nesta quarta-feira.

A BBC transmite programação de rádio em persa desde 1940 e lançou seu site de notícias em persa em 2001.

A programação de rádio tem uma audiência semanal de 10 milhões de ouvintes, e a BBC espera que o novo canal de TV atinja essa média dentro de três anos.

O novo canal é parte do Serviço Mundial da BBC e é patrocinado pelo Ministério das Relações Exteriores britânico, com custo anual estimado em US$ 22 milhões (cerca de R$ 52 milhões). No entanto, o enfoque editorial é totalmente independente do governo britânico.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos