Governo espanhol diz desconhecer agressão ao músico Guinga

O governo espanhol afirmou nesta sexta-feira desconhecer a suposta agressão ao músico brasileiro Carlos Althier de Souza Lemos Escobar, o Guinga, que teria acontecido no aeroporto de Madri no domingo passado, quando o compositor embarcava para o Brasil.

Em entrevista à BBC Brasil, Guinga afirmou ter sido agredido após abordar policiais para denunciar o roubo de um casaco com documentos e dinheiro na esteira de raio-X da sala de embarques do aeroporto de Barajas, em Madri.

"Procurei os policiais para denunciar o roubo e fui muito maltratado", afirmou. "Uma hora eu me exaltei e levei um soco na boca de um policial à paisana. Tive dois dentes quebrados." O assessor de imprensa da polícia de Barajas questionou a acusação. "Como é possível alguém dizer que foi roubado e agredido dentro do setor de revista (controle) do aeroporto, diante de câmeras e tantas testemunhas?" Já a assessoria de imprensa da Polícia Nacional de Barajas afirmou à BBC Brasil que "todos os dias, há imigrantes, brasileiros e de outras nacionalidades, que, sem cumprir os requisitos, reclamam por não poder passar pelas fronteiras" do país.

O assessor acrescentou que "reclamações por parte dos inadmitidos, até de forma exaltada, têm acontecido".

"Mas falar em violência física de um policial a um passageiro são palavras graves", afirmou o assessor. "Acusações de agressão tem de ser provadas." Embarque Guinga afirma que, após a agressão, encontrou o casaco em uma lata de lixo com todos os seus documentos, mas sem o dinheiro. Ele decidiu então embarcar no vôo sem apresentar queixa de agressão à polícia do aeroporto.

"Não adiantava apresentar queixa à polícia, eles me tratavam muito mal", disse o compositor. "A polícia espanhola odeia brasileiros." A embaixada brasileira em Madri disse à BBC Brasil que pediu explicações ao Ministério do Interior espanhol e aguarda uma resposta.

O setor consular foi acionado pelo Itamaraty e considera a situação inadmissível, embora afirme que a reclamação partiu do governo brasileiro e que não há registro de queixa ou pedido por parte do músico.

Guinga afirma ter tentado entrar em contato com a embaixada brasileira em Madri, mas não teria tido sucesso porque ela estaria fechada no fim de semana.

Violonista e compositor, Guinga já teve músicas suas gravadas por artistas como Chico Buarque, Clara Nunes e Elis Regina.

*Colaborou Caio Quero, da BBC Brasil em São Paulo.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos