Ataques atribuídos aos EUA matam 12 no Paquistão

Pelo menos 12 pessoas morreram nesta sexta-feira em dois ataques atribuídos aos Estados Unidos no noroeste do Paquistão, perto da fronteira com o Afeganistão, de acordo com autoridades paquistanesas.

Um dos ataques ocorreu perto da vila na região do Waziristão do Norte, conhecida por ser um reduto de membros do Talebã (a milícia que governava o Afeganistão até 2001) e militantes islâmicos supostamente ligados à Al Qaeda.

O míssil teria matado pelo menos sete pessoas, entre elas quatro árabes.

O segundo ataque teria ocorrido no Waziristão do Sul e teria tido como alvo a casa de um comandante do Talebã, mas autoridades locais disseram à BBC que na verdade a casa atingida era de um líder tribal que apoiava com o governo paquistanês. Ele teria morrido no ataque, juntamente com quatro membros de sua família.

Obama Os Estados Unidos são acusados de realizar de forma rotineira ataques contra alvos paquistaneses com mísseis disparados de aeronaves não tripuladas.

Os ataques desta sexta-feira foram os primeiros atribuídos aos Estados Unidos na região desde que o novo presidente paquistanês, Barack Obama, assumiu o poder em Washington, na sexta-feira.

O Paquistão costuma protestar contra os ataques, dizendo que eles são uma violação de sua soberania.

Na quinta-feira, a secretária de Estado americana, Hillary Clinton, indicou Richard Holbrooke para ser o enviado especial do país para Paquistão e Afeganistão.

Obama prometeu continuar a atuar na região para combater os combatentes da Al-Qaeda e reforçar a ofensiva militar no Afeganistão contra membros do Talibã.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos