Crise teve 'grande impacto' na China, diz premiê

O primeiro-ministro da China, Wen Jiabao, disse nesta quarta-feira em um discurso no Fórum Econômico Mundial, em Davos, que a crise financeira mundial teve "grande impacto" na economia chinesa.

"A economia chinesa está sob grande pressão", disse o premie, explicando que o país enfrenta aumento na taxa de desemprego na zona rural e desaceleração no crescimento econômico.

A economia chinesa cresceu 9% em 2008. No entanto, no último trimestre do ano, o crescimento foi de apenas 6,8% - o resultado mais baixo desde 2001 -, devido principalmente à redução na demanda mundial pelos produtos exportados pelo país.

Medidas Wen citou entre as causas da crise financeira global "políticas macroeconômicas inadequadas em algumas economias".

Segundo ele, a crise levou a economia mundial à situação mais difícil no país desde a Grande Depressão.

Mesmo assim, ele disse esperar crescimento de 8% em 2009 e afirmou que, apesar de ser uma meta difícil, tem convicção de que pode ser alcançada "com trabalho duro".

O governo chinês já anunciou uma série de medidas de auxílio à economia e uma reestruturação no setor industrial.

De acordo com o premiê, "o uso extensivo de novas tecnologias aumentará a competitividade" e, com a redução das exportações, o país deve agora expandir o consumo doméstico.

Apesar das dificuldades, Wen ressaltou que, de modo geral, a economia chinesa está em boa forma.

"A economia da China continuará a crescer rapidamente e de maneira sólida? Alguns podem ter dúvidas quanto a isso, mas eu posso dar uma resposta definitiva", disse Wen. "Sim, vai. Estamos muito confiantes."

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos