Manifestante atira sapato contra premiê chinês

Um manifestante atirou, nesta segunda-feira, um sapato contra o primeiro-ministro chinês, Wen Jiabao, enquanto ele fazia um discurso na Universidade de Cambridge, na Grã-Bretanha.

O sapato, no entanto, não atingiu o premiê e acabou caindo a cerca de um metro dele. O manifestante, que chamou Wen de "ditador", foi retirado do local por seguranças.

O primeiro-ministro chinês, que antes havia assinado uma série de acordos comerciais com o premiê britânico, Gordon Brown, classificou o incidente como "digno de desprezo".

De acordo com testemunhas, o incidente aconteceu quando o premiê chinês se aproximava do final de seu discurso sobre a economia global.

Posteriormente, a polícia britânica confirmou que o manifestante que atirou o sapato foi preso por ofensa a ordem pública.

Protestos Protestos também foram registrados no momento em que o premiê chegava ao local do discurso.

Além de um grupo de manifestantes pró-China, outro grupo protestava contra a política chinesa a respeito do Tibete e contra supostas violações dos direitos humanos no país.

Outras manifestações também ocorreram durante a visita oficial de três dias de Wen Jiabao à Grã-Bretanha.

No domingo, cinco pessoas foram presas em Londres depois de tentarem se aproximar do premiê.

O incidente desta segunda-feira é similar a outro que aconteceu no ultimo mês de dezembro com o ex-presidente dos Estados Unidos, George W. Bush.

Durante uma entrevista coletiva em Bagdá, no Iraque, Bush quase foi atingido por dois sapatos lançados por um jornalista, que também acabou preso.

Crise econômica Antes, em uma reunião com o premiê chinês, o primeiro-ministro britânico, Gordon Brown, pediu por um reforço nas parcerias comerciais entre os dois países.

Brown afirmou que ele e seu colega chinês dividem a mesma determinação em combater a crise econômica, enquanto Wen disse que são necessários "esforços coordenados para lidar com os desafios comuns que estamos enfrentando". Wen ainda afirmou que a crise econômica mostrou "os perigos de um mercado totalmente desregulado".

"Somente trabalhando juntos, somente fazendo esforços coordenados, poderemos lidar com os desafios comuns que estamos enfrentando", afirmou.

Brown ainda disse que o pacote de 4 trilhões de yuans de estímulo fiscal anunciado pela China em novembro irá ajudar as exportações britânicas para o país.

"As relações entre a China e a Grã-Bretanha serão importantes para nos ajudar em meio à crise e serão uma força poderosa para um futuro de crescimento e prosperidade", disse o britânico.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos