Turquia ataca posições do EI na Síria e no Iraque

Premiê turco afirma que, em resposta ao atentado suicida em Istambul, as forças do país mataram quase 200 militantes do "Estado Islâmico", em ataques por terra realizados contra bases dos jihadistas na Síria e no Iraque.

A Turquia atacou o "Estado Islâmico" (EI) na Síria e no Iraque nas últimas 48 horas, matando quase 200 jihadistas, informou nesta quinta-feira (14/01) o primeiro-ministro turco, Ahmet Davutoglu.

Os ataques, realizados por forças terrestres, são uma retaliação ao atentado ocorrido em Istambul, há dois dias, que matou ao menos dez turistas alemães, e que, segundo o governo turco, foi realizado por um terrorista suicida de origem síria, ligado ao EI. A organização terrorista, entretanto, não assumiu o atentado.

A Turquia, país membro da Otan que integra a coalizão internacional de combate ao EI, afirma que também poderá realizar ataques aéreos contra os extremistas, para expulsá-los de posições próximas à sua fronteira.

"Após os incidentes desta terça-feira, aproximadamente de 500 cargas de artilharia e morteiros foram lançadas contra posições do Daesh na Síria e no Iraque", afirmou Davutoglu, utilizando o nome do EI em árabe.

"Aproximadamente duzentos membros do Daesh, incluindo os chamados líderes regionais, foram neutralizados nas últimas 48 horas. A partir de agora, toda ameaça direcionada à Turquia será punida dessa maneira".

O ministro disse que os alvos dos ataques eram posições do EI ao longo da fronteira do país com a Síria e em uma área próxima a um campo militar turco no Iraque. "Nossos ataques por terra a essas posições continuam e, se necessário, nossa Força Aérea entrará em ação", disse o primeiro-ministro.

RC/rtr/ap

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos