Irã recebe US$ 32 bilhões em ativos bloqueados

  • Xinhua/Ahmad Halabisaz

    Hassan Rohani, presidente do Irã

    Hassan Rohani, presidente do Irã

Dinheiro estava congelado em bancos no exterior e é liberado com o fim das sanções ao país. Parte será investida em importação. Teerã anuncia parceria com a China em setor de energia nuclear.

Com o fim das sanções após a entrada em vigor do tratado nuclear firmado entre Irã e as potências mundiais, o país receberá US$ 32 bilhões em ativos que estavam congelados, anunciou nesta terça-feira (19) o Banco Central iraniano.

Os fundos congelados eram mantidos em bancos no exterior. De acordo com o presidente do Banco Central, Valiollah Seif, eles já foram desbloqueados e fez-se a transferência de alguns fundos que estavam no Japão e na Coreia do Sul para outros bancos na Alemanha e Emirados Árabes.

Seif explicou que os ativos serão mantidos "centralizados e em contas seguras" no exterior, podendo ser usados para comprar e importar mercadorias. Ele acrescentou que US$ 28 bilhões irão para o Banco Central e US$ 4 bilhões "serão transferidos para o Tesouro Nacional".

Teerã espera que os passos para diminuir o isolamento incluam a readmissão de seus bancos no sistema de transações internacionais SWIFT, injetando novo vigor na economia nacional.

O presidente do Irã, Hassan Rohani, anunciou também nesta terça-feira que, com o fim das sanções, o país deve redobrar os esforços para atrair investimentos estrangeiros e liberalizar a economia. "Atualmente os nossos maiores problemas são o desemprego e a recessão, a falta de uma economia em expansão e muitas deficiências estruturais e econômicas", ressaltou.

Petróleo e setor energético

Após 12 anos, as sanções contra o Irã foram removidas no último final de semana, eliminando, assim, um obstáculo enorme para um dos maiores produtores de petróleo do mundo.

Investidores de diversos países, incluindo a Alemanha, desejam entrar no mercado iraniano. No entanto, a volta iraniana ao mercado internacional derrubou ainda mais o preço do barril de petróleo, que ficou abaixo de US$ 30 dólares nesta segunda-feira.

Paralelamente às declarações de Rohani, noticiou-se que o país pretende construir duas novas usinas nucleares com ajuda da China. O diretor da Organização Iraniana de Energia Atômica, Ali Akbar Salehi, disse à agência estatal de notícias IRNA que os detalhes do acordo serão discutidos durante a visita ao país do presidente chinês, Xi Jinping, no fim de semana.

Salehi comentou que, além da China, também a Coreia do Sul, Japão, Rússia e alguns países europeus mostram interesse em cooperar com o Irã no setor de energia nuclear.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos