"Se todos participarem, Aedes não tem chance"

Fabian Schmidt (av)

Em entrevista, biólogo alemão Norbert Becker, especializado em mosquitos, defende eficácia da eliminação dos focos do vetor do vírus zika. Envolvimento da população é essencial, destaca.

O vírus zika ocupa manchetes mundo afora. A notícia - ainda controvertida - de que ele pode estar associado à microcefalia é motivo de apreensão entre mães e gestantes, e ocupa as autoridades sanitárias da América do Sul.

Na falta de uma vacina, todos os esforços estão concentrados na luta contra o provável vetor do vírus, o mosquito Aedes aegypti. No Brasil - país atualmente mais afetado pelo zika -, a partir de 13 de fevereiro, 220 mil soldados irão de casa em casa, educando a população sobre a necessidade de eliminar focos potenciais do inseto.

Em entrevista à DW, o biólogo alemão especializado em mosquitos Norbert Becker presta mais esclarecimentos sobre o vetor do zika e da dengue e sobre como combatê-lo. Desde 1981, Becker é diretor científico da sociedade Ação Comunal para Combate à Praga de Mosquitos (KABS), sediada em Speyer, no estado alemão da Renânia-Palatinado.

DW: Como combater mosquitos perigosos?

Norbert Becker: O pernilongo-rajado africano (Aedes aegypti) e o asiático (Aedes albopictus), por exemplo, são especialmente perigosos. Essas espécies são vetores de vírus, provavelmente também do zika. Assim como o mosquito caseiro europeu, os pernilongos-rajados se reproduzem em recipientes coletores de chuva e concentrações artificiais de água. As fêmeas põem seus ovos na borda do recipiente, acima da superfície dá água, e quando o nível do líquido sobe, as larvas eclodem.

Por isso, é especialmente importante evitar concentrações desnecessárias de água nas áreas residenciais. Podem ser vasos de plantas com água acumulada, vasos de flores não utilizados, ou baldes e regadores em que ficou um pouco de água da chuva.

Como o desenvolvimento do ovo até o mosquito adulto transcorre em velocidade vertiginosa, é preciso eliminar esses focos de postura de ovos. Podem-se cobrir os recipientes, evitando que as fêmeas sequer cheguem à superfície da água para pôr os ovos. E, claro, se pode empregar a substância química BTI em forma de tabletes, que extermina as larvas.

O que quer dizer BTI?

BTI é a abreviatura de Bacillus thuringiensis israelensis. Essa bactéria foi descoberta numa lagoa no deserto de Negev. Ela produz proteínas que matam as larvas de mosquito que as ingerirem.

Quanto tempo duram as medidas de combate com BTI?

Na ecologia, existem duas estratégias de preservação de espécies. A vaca preserva a sua tendo mais ou menos um bezerro por ano e por hectare, que fica bem protegido junto à mãe. ["Estratégia K".]

As fêmeas dos mosquitos, por outro lado, são "mães desnaturadas". Elas inundam a natureza com sua prole. Se põem 200 ovos e 99% das larvas são exterminadas, ainda sobram dois mosquitos, que vão pôr outros 200 ovos.

Eles empregam a assim chamada "estratégia R", garantindo a sobrevivência de sua espécie através de produção em massa. Por isso, o combate não leva a uma redução significativa do número de mosquitos: a cada ano eles têm que ser novamente combatidos, pois conseguem compensar relativamente rápido a perda de descendência.

O mais importante no combate dos vírus zika, da dengue ou da chikungunya, porém, é o saneamento ambiental. Eliminar os focos evitáveis é mais eficaz do que os procedimentos químicos. Para tal, a população precisa ser informada sobre onde os mosquitos podem se desenvolver e o que se pode fazer para evitá-lo. Se todos participarem, os mosquitos não têm chance.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos