Cinco agentes infecciosos perigosos na gravidez

Hannah Fuchs / Luisa Frey

Além do vírus zika, outros patógenos podem causar danos ao feto se contraídos durante a gestação. Reunimos a seguir cinco doenças, ligadas a fatores como consumo de carne crua e leite não pasteurizado.

Rubéola

Esta infecção viral tem como sintomas erupções cutâneas, aumento dos gânglios linfáticos, febre baixa e cansaço. Após em média 14 dias, a doença chega ao fim, e a pessoa recuperada desenvolve imunidade vitalícia a ela.

O vírus costuma ser transmitido pelo ar, através da aspiração de gotículas de saliva ou secreção nasal. Uma mulher grávida com rubéola pode transmitir o vírus para o feto, possivelmente causando problemas cardíacos, cegueira e/ou surdez.

O período da gestação faz diferença: durante o primeiro mês de gravidez, há de 50% a 60% de chance de malformações congênitas. A partir do segundo mês, o risco diminui progressivamente.

Se uma gestante é infectada após o quarto mês de gravidez, há 20% de chance de o feto contrair a doença. Aproximadamente 3,5% dos bebês apresentam, então, malformações genéticas.

Os médicos recomendam que todo mundo se vacine contra a rubéola. E mulheres com planos de engravidar devem ser vacinadas, no mais tardar, três meses antes da gravidez.

Sarampo

O sarampo também é causado por um vírus. A doença começa com sintomas semelhantes aos da gripe, e, alguns dias depois, surgem erupções cutâneas.

Mulheres que pretendem ter filhos e não tiveram a doença deveriam ser vacinadas até, no mais tardar, três meses antes da gravidez. A infecção poder trazer complicações para a gestante. Por volta de 25% dos bebês de mães que tiveram sarampo durante a gestação nascem prematuros, e o risco de a criança nascer morta aumenta.

Se a doença for detectada num estágio inicial, imunoglobina - a parte do plasma sanguíneo que contém anticorpos - pode ser administrada. Isso pode barrar o avanço da doença ou pelo menos reduzir seus efeitos.

Toxoplasmose

A toxoplasmose é causada pelo parasita Toxoplasma gondii e é uma zoonose, ou seja, é transmitida de animais vertebrados para seres humanos. Uma infecção por Toxoplasma pode ser causada pelo consumo de carne crua, defumada ou mal passada ou pelo contato com fezes de gatos contendo o parasita.

Muitos pacientes não sabem que contraíram a doença. Ocasionalmente, podem aparecer sintomas como febre, dores de cabeça ou inchaço dos gânglios linfáticos. Normalmente, quem é infectado desenvolve imunidade contra a doença.

No entanto, se uma mulher contrai a toxoplasmose pela primeira vez durante a gravidez, o estágio da gestação costuma determinar quão grandes são os riscos para o feto. Dos bebês infectados, 10% apresentam efeitos da doença ao nascer, como inflamação do cérebro ou do fígado e hidrocefalia. O risco de infectar o feto pode ser reduzido pela metade com a ajuda de medicamentos.

Herpes

Há dois tipos do Herpes simplex vírus: o do tipo 1 (HSV-1) e o do tipo 2 (HSV-2). O primeiro causa feridas no rosto. Muitas pessoas conhecem as desagradáveis úlceras na boca ou ao redor dela, especialmente por elas serem difíceis de esconder. Já o do tipo 2 está associado ao herpes genital. Quem é infectado pelo vírus passa a portá-lo pelo resto da vida. Quando o sistema imunológico da pessoa fica enfraquecido, as feridas aparecem.

Uma mulher que foi infectada pelo vírus do tipo 2 antes da gravidez não tem o que temer, pois o feto desenvolve anticorpos suficientes contra o agente infeccioso. No entanto, quando uma gestante é infectada pouco antes do nascimento do filho, há o risco de que a pele e os olhos do bebê sejam infectados durante o parto. No pior dos casos, pode ocorrer um sepse - infecção generalizada - neonatal, que pode levar à morte da criança. Para evitar isso, a gestante pode optar por fazer uma cesariana.

Listeriose

A bactéria Listeria monocytogenes causa a listeriose - doença que existe no mundo todo, mas é rara. A bactéria é transmitida através do consumo de laticínios não pasteurizados e de carne ou peixe crus. Muitas pessoas não sabem quando estão infectadas, pois os sintomas são os mesmo de uma gripe moderada. No pior dos casos, a listeriose pode levar à sepse ou meningite.

Grávidas deveriam ter especial cuidado com a doença, pois a listeriose pode provocar aborto ou nascimento prematuro. Recém-nascidos podem sofrer de listeriose precoce, que se instala imediatamente após o nascimento e pode causar doenças de órgãos internos e de pele, além de problemas respiratórios e espasmos. A listeriose tardia, por sua vez, pode causar meningite ou sepse de uma a duas semanas após o nascimento.

 

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos