Cresce número de vítimas de terremoto no sul do Taiwan

Tremor de magnitude 6,4 é o mais forte desde 2013, em ilha regularmente atingida por abalos sísmicos, devido a sua situação geográfica. Procura de desaparecidos prossegue a alta pressão.

No mínimo 11 pessoas morreram e 475 ficaram feridas no terremoto de magnitude 6,4 na escala Richter, que atingiu o sul do Taiwan na madrugada deste sábado (06/02). Segundo o Serviço Geológico dos Estados Unidos (USGS), o epicentro do tremor foi registrado a 39 quilômetros a nordeste de Kaohsiung, segunda maior cidade do país, a uma profundidade de dez quilômetros.

Na cidade de Tainan, a mais atingida, diversos prédios de vários andares desabaram, enquanto permaneceu intacta a maioria das pequenas casas da metrópole portuária de 2 milhões de habitantes. O corpo de bombeiros local registrou a morte de um homem, uma mulher e um bebê na queda de um edifício de 16 andares, de cujos destroços foram retiradas mais de uma centena de sobreviventes.

Numa grande operação de resgate, já iniciada na madrugada, à luz de holofotes, estão sendo procurados sobreviventes. Não há ainda estimativas quanto ao número de desaparecidos. Muitos moradores de Tainan foram surpreendidos pelo desastre natural em meio ao sono. Uma mulher contou à emissora SET TV ter escapado arrombando a porta do próprio apartamento a golpes de martelo.

A magnitude do abalo sísmico foi inicialmente calculada em 6,7 graus na escala Richter, mas as autoridades a corrigiram para 6,4. Localizada próximo a duas placas tectônicas, o Taiwan é atingido com regularidade por terremotos. Em junho de 2013, um abalo de magnitude 6,3 atingiu o centro da ilha, provocando quatro mortes e deslizes de terra generalizados. Em setembro de 1999, outro tremor de magnitude 7,6 resultou em cerca de 2.400 mortos.

AV/afp/lusa/dpa

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos