Otan vai aumentar presença militar no leste europeu

Objetivo é evitar que Rússia tome novos territórios, assim como aconteceu com a região da Crimeia. Plano prevê instalação de forças da aliança em países que se sentem ameaçados.

Ministros de defesa dos 28 países pertencentes à Otan concordaram nesta quarta-feira (10/02) em aumentar a presença da aliança militar no leste da Europa, diante da ameaça russa.

De acordo com o secretário-geral da Otan, Jens Stoltenberg, o objetivo é "deixar claro que um ataque contra um aliado é um ataque contra todos os aliados, e que a aliança como um todo irá responder."

A medida é uma resposta à suspeita de envolvimento da Rússia nos conflitos na Ucrânia e na anexação da região da Crimeia ao território do país.

Outras nações do leste europeu temem que o governo de Vladimir Putin faça operações semelhantes em seus territórios. Por isso, têm pedido o apoio da Otan.

Os detalhes da intervenção devem ser discutidos na próxima conferência da Otan em julho, em Varsóvia. O plano prevê que forças multinacionais da Otan se instalem em países do leste europeu, de forma rotativa.

KG/ap/dpa

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos