Partido de Timoshenko rompe com governo na Ucrânia

Decisão é tomada após manobra frustrada de presidente Petro Poroshenko para derrubar primeiro-ministro. Timoshenko acusa parlamentares governamentais de seguir ordem de um homem de negócios obscuros.

O partido Pátria, da ex-primeira-ministra Yulia Timoshenko, deixou a coalizão do governo da Ucrânia nesta quarta-feira (17/02), depois da manobra do presidente Petro Poroshenko para destituir o primeiro-ministro Arseniy Yatsenyuk. O partido acusou o governo de ser um fantoche de magnatas.

O Pátria era o menor entre os quatro partidos que formavam a coalizão. O governo continua com a maioria dos assentos no Parlamento, 217 dos 450, mas pode ter dificuldades para aprovar propostas.

Quinze dos 19 parlamentares do Pátria votaram a favor da permanência Yatsenyuk na quarta-feira. Embora 194 parlamentares tenham votado contra o primeiro-ministro, eram necessários pelo menos 226 votos para tirá-lo do governo. O pedido para a destituição de Yatsenyuk foi apresentado pelo presidente ucraniano e causou o rompimento do governo.

"Essa manhã o partido Pátria tomou a única decisão possível, deixar a coalizão", disse Timoshenko e acusou parlamentares da maioria governamental de seguir ordem de um homem de negócios obscuros.

A ruptura complica a situação do governo que precisa aprovar reformas exigidas pelos aliados Ocidentais da Ucrânia e pelo Fundo Monetário Internacional (FMI) para liberar ajuda financeira ao país.

CN/afp/ap/rtr

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos