Composição conjunta de Mozart e Salieri reestreada em Praga

Augusto Valente

Afinal, o italiano envenenou mesmo o gênio austríaco por inveja? Reencontrada após dois séculos, uma cantata composta em parceria desbanca de vez a lenda da inimizade fatal entre os dois compositores clássicos.

Uma cantata de quatro minutos de duração, em italiano, composta em parceria pelos compositores Wolfgang Amadeus Mozart (1756-1791), Antonio Salieri (1750-1825) e o desconhecido Cornetti, foi executada nesta terça-feira (16/02) na capital tcheca, Praga.

Datando de 1785. Per la ricuperata salute di Offelia (Pela saúde recuperada de Ofélia), para voz e piano, foi reencontrada no Museu Tcheco de Música depois de mais de 200 anos perdida.

O musicólogo e compositor alemão Timo Jouko Herrmann a descobriu em novembro de 2015, enquanto pesquisava no catálogo da instituição. "Nós conhecíamos o título de um anúncio de 1795. Fiquei empolgado ao lê-lo. Pensei: 'Será que a peça está em Praga e ninguém a detectou?'", disse.

Na época capital da cultura europeia, Praga foi uma importante estação de atividade profissional para Mozart. Sua Sinfonia nº 38, de 1786, foi apelidada com o nome da cidade, e suas óperas Don Giovanni e La clemenza di Tito, estreadas lá em 1787 e 1791, respectivamente.

Crônica de uma inimizade fictícia

O fato de ter sido escrita em parceria confere sensação adicional à redescoberta de Per la ricuperata salute di Offelia. Definitivamente popularizada no filme Amadeus, do cineasta tcheco Milos Forman, a lenda de que Salieri teria participado na morte prematura do colega austríaco, aos 36 anos, já data do início do século 19.

Em 1830, o autor russo Alexander Pushkin escreveu o drama em versos Mozart e Salieri - transformado 67 anos mais tarde numa ópera por Nikolai Rimsky-Korsakov -, em que postulava que, movido pela inveja diante de um talento superior, o compositor italiano teria envenenado Mozart.

Em 1979, o dramaturgo inglês Peter Shaffer retomou a ideia em sua peça Amadeus, com grande sucesso internacional. A adaptação para o cinema, dirigida por Forman, conquistou oito Oscars e quatro Golden Globes em 1985, entre muitos outros prêmios.

O diretor de pesquisa da Fundação Mozarteum de Salzburgo, Ulrich Leisinger, toma partido. "Nós todos conhecemos o filme Amadeus. Salieri é falsamente representado nele. Ele não envenenou Mozart, os dois compositores se encontravam regularmente e colaboravam em Viena."

O texto da cantata dedicada à soprano inglesa Nancy Storace (a "Ofélia" do título) é de Lorenzo da Ponte, também autor pelos libretos de As bodas de Fígaro, Don Giovanni e Così fan tutte.

O responsável pelo achado musicológico confirma que a peça "mostra uma colaboração bastante amistosa entre dois compositores", e acredita que a descoberta poderá ser seguida de outras surpresas.

"Até onde sei, esta é a única peça escrita em conjunto por Mozart e Salieri. Mas, quem sabe, numa casa de tesouros como esta, tudo pode acontecer", comentou Herrmann, referindo-se ao Museu Tcheco de Música.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos