Rivais prometem endossar Trump, apesar de troca de insultos

Debate republicano tem série de ataques contra o magnata, incluindo insinuações bizarras envolvendo sua masculinidade. No final, porém, todos os concorrentes garantiram preferir Trump a qualquer democrata na Casa Branca.

Após uma série de ataques contra Donald Trump, o 11º debate republicano entre os pré-candidatos da legenda à Casa Branca teve um desfecho surpreendente: todos os três rivais prometeram apoiar o controverso magnata caso ele seja nomeado candidato do Partido Republicano.

Durante o debate televisionado pela emissora Fox News, no entanto, os senadores Marco Rubio, da Flórida, e Ted Cruz, do Texas, além do governador de Ohio, John Kasich, distribuíram ataques impetuosos contra o empresário.

Em um ataque bizarro, Rubiu levantou a questão do pequeno tamanho das mãos de Trump, ao qual o bilionário respondeu: "Ele se referiu às minhas mãos - se elas são pequenas, então outra coisa deve ser pequena também. Eu garanto que 'lá' não há qualquer problema".

Estas e outras observações foram debatidas por cidadãos americanos no Twitter, com muitos usuários comentando sobre o baixo nível do debate. Rubio chegou a se desculpar pelos próprios ataques, insistindo que foi Trump quem abriu as portas: "Donald Trump tem debochado basicamente de todos com ataques pessoais".

O debate foi realizado poucas horas depois do ex-candidato presidencial Mitt Romney ter chamado Trump de "farsa" e "fraude, na quinta-feira. Um dos moderadores do debate abriu o programa perguntando a Trump se ele poderia responder às críticas de Romney sem atacá-lo. Mas o magnata não deixou de cutucá-lo. "Ele foi um candidato fracassado. Ele fracassou miseravelmente", disse. "Agora ele quer ser relevante, quer voltar ao jogo."

A apresentadora Megyn Kelly - a quem Trump havia insinuado estar com "sangue saindo, sei lá de onde" no primeiro debate televisionado - perguntou ao magnata se ele estava agora mais flexível sobre a política de imigração, alegando que os eleitores podem estar confusos já que ele vinha mudando sua opinião sobre questões envolvendo os conflitos no Afeganistão e na Síria, assim como a imigração.

"Eu nunca vi uma pessoa bem sucedida que não ostente certo grau de flexibilidade", respondeu. "Eu estou mudando. Estou mudando. Nós precisamos de pessoas altamente qualificadas neste país", alegando que mudou de ideia para apoiar a admissão de trabalhadores qualificado do exterior.

No fim do debate, todos os três rivais afirmaram que apoiariam Trump, caso ele seja nomeado o candidato republicano. Rubio disse ter um compromisso com o partido e, portanto, apoiaria qualquer candidato. Cruz afirmou preferir Trump na Casa Branca a um dos candidatos democratas, Hillary Clinton ou Bernie Sanders, a quem ele descreveu como um "socialista".

Kasich hesitou, alegando que "às vezes, Trump faz com que seja um pouco difícil", mas garantiu que também iria apoiá-lo como candidato. Ao ser questionado se faria o mesmo por um dos seus concorrentes, Trump também afirmou que apoiaria qualquer candidato republicano.

Trump venceu 10 das 15 primárias republicanas e, atualmente, lidera a corrida à nomeação republicana com 329 delegados. Cruz segue com 231, Rubio com 110 e Kasich com 25. O neurocirurgião aposentado Ben Carson abandonou a disputa no início desta semana. Para a nomeação é necessário o apoio de 1.237 delegados.

PV/ap/afp/rtr

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos