Talibã rejeita participar de conversas de paz no Afeganistão

Extremistas dizem que negociações não vão trazer resultados até que ocupação de tropas americanas acabe. Além disso, grupo quer ser retirado das listas negras internacionais de terrorismo e ter seus detidos liberados.

Os extremistas islâmicos do Talibã negaram neste sábado (05/03) a participação nas próximas negociações de paz mediadas pelo chamado Grupo de Coordenação Quadrilateral, que inclui representantes do Afeganistão, Paquistão, China e EUA e que tentava intermediar conversações em Islamabad no início deste mês.

No entanto, o Talibã afirmou que não sentará à mesa de negociações enquanto as forças americanas permanecerem no país em meio a crescentes operações do Exército do Afeganistão contra os extremistas.

"Nós rejeitamos todos os rumores e declaramos de forma inequívoca que o líder do [autoproclamado] Emirado Islâmico não autorizou ninguém a participar desta reunião", diz uma nota do Talibã.

"Mais uma vez, nós reiteramos nossa posição de que as conversações não trarão nenhum resultado até que a ocupação de tropas internacionais acabe, até que os nomes do Talibã sejam retirados das listas negras internacionais e até que nossos detidos sejam liberados."

Expulso do poder por uma intervenção militar liderada pelos EUA em 2001, o Talibã tem travado uma violenta insurgência para derrubar o governo afegão apoiado pelo Ocidente e reestabelecer um regime islâmico fundamentalista.

As conversações diretas entre o Talibã e o governo em Cabul estão suspensas desde o anúncio do mulá Mohammed Omar, líder de longa data do grupo extremista.

FC/rtr/ap/afp

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos