Peña Nieto compara "retórica estridente" de Trump a Hitler

Presidente mexicano afirma que "retórica estridente" do magnata já foi usada por Hitler e Mussolini, com resultados "fatídicos" para a humanidade, e se recusa a pagar por muro para barrar migrantes na fronteira.

O presidente do México, Enrique Peña Nieto, condenou os comentários sobre o México feitos pelo pré-candidato republicano à presidência Donald Trump e afirmou que uma retórica como a do magnata foi usada pelos ditadores Adolf Hitler e Benito Mussolini para ascender ao poder.

Quando empregada pelos líderes fascistas, uma retórica "estridente" semelhante à de Trump teve resultados "fatídicos" para a humanidade, e ninguém quer que isso aconteça novamente em algum lugar do mundo, disse Peña Nieto em entrevista ao jornal mexicano Excelsior, publicada nesta segunda-feira (07/03).

"Assim chegou [ao poder] Mussolini e assim chegou Hitler: aproveitaram justamente um contexto, de um problema que vivia a humanidade, depois de uma crise econômica", disse Peña Nieto em outra entrevista, publicada pelo jornal El Universal também nesta segunda-feira.

Durante sua campanha eleitoral, Trump fez uma série de comentários sobre imigrantes, especialmente mexicanos. Antes de Peña Nieto, os ex-presidentes do México Vicente Fox e Felipe Calderón também haviam comparado o magnata americano a Hitler.

Trump, que lidera a corrida republicana à Casa Branca, afirmou que o México está "matando" os Estados Unidos com mão de obra barata e enviou a seu território "criminosos e estupradores". Ele prometeu que, se chegar à presidência, construirá um muro na fronteira, a ser pago pelo governo mexicano.

"Condeno esse tipo de posicionamento. Parece-me que eles ferem uma relação que o México buscou com os Estados Unidos - de pontes, de diálogo, de aproximação, de buscar soluções para problemas comuns", disse Peña Nieto ao jornal El Universal.

O presidente lamentou particularmente a promessa de Trump de construir um muro e disse que sob hipótese alguma o México pagará por ele. O líder mexicano afirmou esperar que o eleitorado eleja um governo com o qual o país latino-americano continue mantende boas relações.

Trump disse à emissora americana ABC nesta terça-feira que não havia escutado as comparações a Hitler feitas por Peña Nieto e outros. "É uma comparação terrível. Eu certamente não estou contente com isso. Eu não quero essa comparação, mas temos que ser fortes", declarou.

LPF/rtr/ap/dpa/efe

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos