Jovem ligada ao PKK provocou atentado, diz governo turco

Estudante turca de 24 anos ligada ao grupo rebelde recebeu treinamento militar na Síria. Atentado no fim de semana em Ancara deixou 37 mortos.

O Ministério do Interior da Turquia anunciou nesta terça-feira (15/03) que o atentado suicida que matou 37 pessoas em Ancara no domingo foi provocado por um membro do Partido dos Trabalhadores do Curdistão (PKK).

Seher Çagla Demir, de 24 anos e de origem turca, entrou para o PKK em 2013. Na Síria, ela recebeu treinamento das Unidades de Proteção Popular Curdas (YPG).

Demir estudava Hotelaria na cidade turca de Balikesir e vinha sendo julgada por "difundir propaganda do PKK".

A milícia considerada como terrorista pelo governo turco é uma das aliadas dos Estados Unidos no combate aos extremistas do "Estado Islâmico" (EI). Já o PKK é considerado um grupo terrorista não só por EUA e Turquia, mas também pela União Europeia.

Em resposta, o governo turco lançou ataques contra bases do PKK no norte do Iraque, apesar de o grupo ainda não ter assumido a autoria do atentado.

Em fevereiro, um ataque do grupo guerrilheiro curdo Falcões da Liberdade do Curdistão (TAK) contra um comboio militar em Ancara deixou 28 mortos.

KG/afp/dpa

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos