Papa aprova canonização de Madre Teresa

Cerimônia para santificar freira que dedicou sua vida aos pobres e doentes ocorrerá em setembro. Vaticano atribui dois milagres a Madre Teresa. Em 1979, ela recebeu o Nobel da Paz por seu trabalho.

O papa Francisco aprovou formalmente nesta terça-feira (15/03) a canonização de Madre Tereza de Calcutá, que dedicou sua vida a ajudar os pobres. O pontífice anunciou que a cerimônia para finalizar o processo ocorrerá no dia 4 de setembro.

Francisco fez o anúncio durante uma reunião de cardeais. Em dezembro do ano passado, o papa deu início ao processo, aprovando as investigações sobre o caso. A canonização ocorre 19 anos depois da morte da missionária, aos 87 anos de idade, em 1997.

Madre Teresa foi proclamada beata em 2003 pelo então Papa João Paulo II. A beatificação, que requer um milagre, é o último passo antes da canonização. A Igreja atribuiu a Madre Teresa dois milagres, ambos envolvendo doentes.

O segundo milagre de Madre Teresa, aprovado por unanimidade pela Igreja Católica, seria a "cura extraordinária" de um brasileiro que sofria de múltiplos tumores cerebrais, em dezembro de 2008.

Madre Teresa nasceu no dia 26 de agosto de 1910 na Escópia, Macêdonia. Com 18 anos, ela entrou para a Ordem das Irmãs de Nossa Senhora do Loreto, na Irlanda, e foi para a Índia como noviça. Em Calcutá, ela fundou a congregação de Missionárias da Caridade. Até o final da sua vida, a freira carismática cuidou de quem precisa proteção, passa fome e, principalmente, de doentes.

Críticos a acusavam de querem converter ao cristianismo os pobres. Ela era conhecida com "anjo dos pobres". Em 1979, por seu trabalho e dedicação, Madre Teresa foi agraciada com o Nobel da Paz.

CN/afp/rtr/dpa

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos