+ Ao vivo: Atentados deixam mais de 30 mortos em Bruxelas +

Duas explosões atingem aeroporto internacional Zaventem e uma ocorre na estação de metrô de Maelbeek, perto de prédios da UE. Há mais de 180 feridos. Bélgica eleva ao máximo o nível de alerta antiterrorismo.

A capital da Bélgica e sede da União Europeia e da Otan amanheceu sob ataque nesta terça-feira (22/03). Pouco antes das 8h (hora local), duas explosões foram ouvidas no aeroporto internacional Zaventem - uma delas teria ocorrido no balcão da companhia aérea American Airlines, no setor de embarque.

Pouco tempo depois, as autoridades afirmaram ter havido uma explosão na estação de metrô de Maelbeek, no centro da capital, localizada próxima aos escritórios da UE. As múltiplas explosões deixaram ao menos 31 mortos e mais de 180 feridos. Algumas autoridades falam em 34 mortos.

Testemunhas relatam ter visto fumaça saindo de um dos terminais, e as primeiras imagens mostram destruição nos prédios e pessoas em fuga. Outras testemunhas afirmaram ter ouvido tiros antes das explosões. De acordo com uma testemunha citada pela agência de notícias Reuters, alguém teria gritado palavras em árabe.

As explosões ocorrem quatro dias após a captura, em Bruxelas, de Salah Abdeslam, principal suspeito de arquitetar os ataques de Paris em novembro de 2015.

O governo da Bélgica elevou ao máximo o nível de alerta no país, para o grau 4, que indica ameaça "séria e imimente".

Todas as atualizações estão no horário local de Bruxelas. Para atualizar, pressione CTRL + F5.

15h30 - A televisão belga VTM afirmou que muitas das vítimas que estão sendo atendidas pelo hospital Gasthuisberg, em Leuven, têm ferimentos profundos causados por pregos, sugerindo que eles estariam contidos em uma das bombas explodidas no aeroporto de Bruxelas.

15h13 - O prefeito de Bruxelas, Yvan Mayeur, declarou que pelo menos 20 pessoas morreram e 106 estão feridas após a explosão na estação de metrô de Maelbeek. Mais cedo, a ministra da Saúde belga, Maggie De Block, afirmou que as duas explosões no aeroporto causaram 11 mortes e deixaram 81 feridos. Assim, os ataques em Bruxelas nesta terça-feira já contabilizam ao menos 31 mortes e 187 pessoas feridas.

14h50 - Um "veículo suspeito" foi destruído pelo exército belga no bairro de Ixelles, no sul da capital, segundo informou a polícia da região. A operação foi realizada perto do campus da universidade VUB (Vrije Universiteit Brussel). "A explosão que vocês acabaram de ouvir foi uma explosão controlada, iniciada pelo esquadrão antibombas", explicou a instituição no Twitter.

14h44 - Uma usina nuclear na Bélgica, próximo à fronteira com a Alemanha, foi evacuada após os ataques em Bruxelas, informou a agência de notícias Belga, citando a polícia local.

14h32 - Ainda segundo Doris Pundy, uma pessoa foi detida num trem que vinha de Bruxelas e chegava ao aeroporto de Schiphol, em Amsterdã.

14h25 - A jornalista da DW Doris Pundy confirmou que fuzis kalashnikovs foram encontrados no aeroporto de Bruxelas, onde já foi encerrada a evacuação. Cerca de mil pessoas foram retiradas do local nesta manhã. A emissora belga VTM afirmou que um cinto com explosivos também foi encontrado, e que o esquadrão antibombas foi acionado para desativá-lo.

14h10 - A polícia belga encontrou um fuzil kalashnikov - tipo de arma usada nos ataques em Paris em novembro - próximo ao terrorista morto no aeroporto de Bruxelas nesta terça-feira. A informação também é da emissora VRT.

13h40 - O número de mortos nos ataques desta terça-feira em Bruxelas subiu para 34, com 14 vítimas no aeroporto e outras 20 no metrô, segundo a emissora pública belga VRT. Os feridos já ultrapassam 130.

13h35 - Em solidariedade a Bruxelas, a prefeitura de Paris anunciou que vai iluminar a Torre Eiffel nas cores da bandeira belga.

13h30 - O presidente francês, François Hollande, disse que "terroristas atingiram Bruxelas, mas a Europa é que foi alvo". Ele alertou que a guerra contra o terrorismo será longa.

13h25 - "Estamos em guerra. Fomos submetidos a atos de guerra na Europa nos últimos meses", disse o primeiro-ministro francês, Manuel Valls.

13h20 - Mais de 200 voos para Bruxelas foram desviados ou cancelados. O aeroporto de Bruxelas permanece fechado, e medidas de segurança foram elevadas em aeroportos europeus.

13h03 - O chefe da Casa Civil alemã, Peter Altmaier, pediu solidariedade à Bélgica, afirmando que "os terroristas nunca ganharão". "Nossos valores europeus são muito mais fortes que o ódio, a violência e o terror!", completou.

12h58 - Em visita oficial à China, Joachim Gauck, presidente da Alemanha, afirmou que as "notícias dos cruéis ataques terroristas" o abalaram profundamente. "Condeno esses terríveis crimes, que têm feito tantas vítimas. Em face dos atos de violência terrorista, a Alemanha está lado a lado com a Bélgica", disse Gauck, que esteve na Bélgica há duas semanas.

12h49 - Evan Lamos, uma das pessoas que usavam o metrô em Bruxelas na manhã desta terça-feira, publicou um vídeo em rede social que mostra o vagão sendo evacuado por conta da paralisação no sistema de transportes. O trem estava na estação Arts-Loi indo em direção a Maelbeek, onde ocorreu um dos ataques.

12h40 - Os ataques no aeroporto internacional de Bruxelas deixaram 11 mortos e um total de 81 feridos, segundo afirmou a ministra da Saúde da Bélgica, Maggie De Block. Entre os feridos, 31 estão em estado grave.

12h34 - Segundo a agência Associated Press, o ataque na estação de Maelbeek deixou 15 mortos e 55 feridos até o momento. As informações são do porta-voz do metrô belga Guy Sablon.

12h25 - Max Hoffman, repórter da DW em Bruxelas, contou que as pessoas continuam evacuando o aeroporto da capital belga.

12h18 - O promotor federal belga Frederic Van Leeuw afirmou que as três explosões desta manhã se tratam de "ataques terroristas" - duas ocorreram no aeroporto internacional de Zaventem, e outra, na estação de metrô de Maelbeek, no centro da capital. "Um dos ataques foi provavelmente realizado por um homem-bomba", disse Van Leeuw.

12h08 - Em conversa com a imprensa em Bruxelas, Michel declarou ainda que as autoridades estão preocupadas com novos possíveis ataques, e que o controle das fronteiras da Bélgica foi reforçado. "Sabemos que enfrentamos um momento trágico. Temos que ficar calmos e mostrar solidariedade", afirmou.

12h00 - "O que temíamos aconteceu", disse Charles Michel. O primeiro-ministro afirmou, porém, que ainda não há informações sobre a relação dos ataques desta terça-feira com a captura do suspeito dos ataques de Paris na semana passada.

11h51 - Bruxelas foi atingida por ataques "cegos, violentos e covardes", declarou o primeiro-ministro belga, Charles Michel. "Há muitos mortos e feridos, alguns em estado grave", disse na televisão.

11h37 - Segundo a agência de notícias Belga, houve mais uma explosão em Bruxelas, próxima à Rue de la Loi, nas imediações da estação de metrô de Maelbeek, onde uma explosão deixou ao menos dez mortos pela manhã.

11h28 - O presidente do Conselho Europeu, Donald Tusk, condenou os "ataques terroristas" em Bruxelas. "Estou chocado com as explosões desta manhã no aeroporto de Zavantem, que custaram várias vidas inocentes e feriram vários outros", disse em comunicado. "A UE devolverá a Bruxelas solidariedade e vai ajudar Bruxelas, a Bélgica e a Europa a enfrentar a ameaça terrorista", escreveu no Twitter.

11h20 - Segundo Pierre Meys, porta-voz do corpo de bombeiros, o número de mortos no aeroporto pode passar dos atuais 11. Um teto falso desabou e pode haver mais vítimas sob os destroços, disse.

11h15 - O presidente da França, François Hollande, convocou uma reunião de emergência após a série de explosões em Bruxelas, com a presença do premiê francês, Manuel Valls, do ministro do Interior, Bernard Cazeneuve, e do ministro da Defesa, Jean-Yves Le Drian.

11h06 - Pierre Meys, porta-voz do corpo de bombeiros de Bruxelas, disse à AFP que 11 pessoas morreram nas duas explosões no aeroporto. Também houve "cerca de dez mortos na estação de metrô de Maalbeek, onde houve uma enorme explosão", disse. "A maioria dos feridos foi evacuada. O cenário é a caótico."

11h00 - Ao menos 21 pessoas morreram nas explosões no aeroporto e no metrô de Bruxelas, segundo fontes do corpo de bombeiros ouvidas pela agência de notícias AFP.

10h55 - "Hoje é um dia negro para a Europa", disse o ministro da Justiça alemão, Heiko Maas. "Os acontecimentos horríveis em Bruxelas afetam todos nós", escreveu no Twitter.

10h51 - As explosões no aeroporto de Bruxelas foram provocadas por um atentado suicida perpetrado por um homem-bomba, disse o procurador federal belga, citado pelas emissoras VTM e RTBF.

10h40 - A empresa ferroviária de alta velocidade Eurostar cancelou todos os trens de e para Bruxelas nesta terça-feira. Passageiros devem adiar suas viagens e não devem se dirigir a estações, pediu a companhia.

10h37 - O ministro do Interior da Bélgica, Jan Jambon, havia dito nesta segunda-feira (21/03) que o país estava em alerta máximo diante de uma possível revanche após a prisão de Salah Abdeslam, o principal suspeito dos ataquesa de 13 de Novembro em Paris, na última sexta-feira.

Jambon disse à uma emissora de rádio belga: "Sabemos que deter uma célula [terrorista] pode levar outras a agir. Estamos cientes disso neste caso."

10h23 - Todo o transporte público em Bruxelas foi paralisado, incluindo trens, metrôs e ônibus.

10h05 - Um homem-bomba foi responsável pelas explosões no aeroporto de Bruxelas, que mataram pelo menos 10 pessoas, segundo a emissora belga VRT.

09h33 - As autoridades de Bruxelas fecharam todas as estações de metrô da cidade.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos