Polícia procura suspeito de atentados em Bruxelas

Dois suicidas seriam responsáveis pelas explosões no aeroporto, e cúmplice é procurado pela polícia. "Estado Islâmico" reivindica autoria dos ataques, que deixaram mais de 30 mortos e atingiram também estação de metrô.

Bruxelas, a capital da Bélgica e centro político da União Europeia (UE), amanheceu sob ataque nesta terça-feira (22/03). Pouco antes das 8h (hora local), duas explosões atingiram o aeroporto internacional Zaventem, deixando ao menos 11 mortos e 81 feridos. Pouco depois, uma terceira explosão na estação de metrô de Maelbeek causou ao menos 20 mortes e deixou 106 feridos, segundo autoridades belgas.

Leia também: Como Bruxelas virou centro do extremismo islâmico na Europa

Leia também: Testemunha narra momentos de desespero e confusão

Leia também: Ataques foram planejados há muito tempo, afirma especialista

A imprensa local já fala em 35 mortos e mais de 200 feridos. Uma terceira bomba foi localizada pela polícia no aeroporto e, segundo relato de testemunhas, explodiu mais tarde, de forma controlada.

As explosões ocorreram quatro dias após a captura, em Bruxelas, de Salah Abdeslam, um dos suspeitos de arquitetar os ataques terroristas de Paris, em 13 de novembro de 2015. O governo da Bélgica elevou ao máximo o nível de alerta no país, para o grau 4, que indica ameaça "séria e iminente".

O grupo terrorista "Estado Islâmico" (EI) reivindicou a autoria dos atentados, afirmando que os locais foram cuidadosamente escolhidos e que os autores dos ataques utilizaram "cintos explosivos, bombas e metralhadoras" no interior do aeroporto de Zaventem e numa estação de metrô. O EI prometeu "dias muito sombrios", acrescentando que o que virá "será mais duro e mais amargo".

As duas explosões no aeroporto foram provavelmente executadas por dois suicidas, e a polícia procura um terceiro suspeito, que estava ao lado deles no aeroporto, afirmou a procuradoria federal belga. "Várias investigações estão em curso em vários locais do país, várias testemunhas estão sendo ouvidas", disse o procurador federal, Frédéric Van Leeuw.

As autoridades belgas divulgaram fotos do trio de suspeitos. O homem que está sendo procurado aparece na foto em roupas claras e chapéu escuro, empurrando um carrinho de aeroporto. As autoridades pediram à população para que ajude a localizá-lo.

Já a polícia belga afirmou ter encontrado uma bomba e uma bandeira do "Estado Islâmico" numa residência em Bruxelas. "As buscas que ocorreram no distrito de Schaerbeek localizaram um dispositivo explosivo contendo pregos, entre outras coisas", disse o promotor federal em comunicado. "Os investigadores também acharam substâncias químicas e uma bandeira do EI."

As autoridades belgas afirmaram ainda ser muito cedo para estabelecer uma ligação entre os ataques desta terça-feira em Bruxelas e os atentados ocorridos em Paris, em 13 de novembro de 2015. "É muito cedo para estabelecer uma ligação com os ataques em Paris", disse Van Leeuw, ao lado do primeiro-ministro Charles Michel.

Michel declarou três dias de luto oficial no país, e o aeroporto internacional de Bruxelas estará fechado nesta quarta-feira. Uma reunião das autoridades definirá se ele será reaberto nesta quinta-feira.

A fronteira franco-belga apresentou no início da noite maiores e visíveis medidas de segurança, com dezenas de agentes revistando viaturas que se dirigem para a França.

AS/ap/afp/rtr/lusa

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos