Ataques suicidas deixam ao menos 29 mortos no Iraque

Atentados em várias regiões do país visam alvos militares e milícias que combatem extremistas. Grupo terrorista "Estado Islâmico" reivindica ataques. Exército retoma controle de vilarejo importante próximo a Mosul.

Uma série de ataques suicidas matou ao menos 29 pessoas e deixou mais de 60 feridos em várias regiões do Iraque nesta segunda-feira (04/04), segundo autoridades. O grupo extremista "Estado Islâmico" (EI), que controla territórios no norte e oeste do país, reivindicou a autoria dos atentados.

O pior ataque ocorreu na província de Dhi Qar, no sudeste do país, onde ao menos 14 pessoas morreram. Um suicida detonou explosivos dentro de um restaurante que costuma ser frequentado por combatentes de uma milícia paramilitar xiita. Segundo a polícia, outras 27 pessoas ficaram feridas no atentado. O restaurante está localizado na principal estrada que liga o sudeste iraquiano a Bagdá.

Quase no mesmo momento, um suicida detonou um veículo cheio de explosivos na cidade de Basra, matando ao menos dez pessoas e ferindo outras dez. O ataque danificou 30 carros.

No início do dia, um suicida jogou seu carro contra um posto de controle de segurança localizado em um subúrbio no nordeste da capital. Seis militares morreram e outros 13 ficaram feridos no ataque.

Outro atentado à bomba ocorreu na sede de tropas paramilitares da cidade de Mishanda, ao norte de Bagdá, deixando quatro mortos e dez feridos. Ataques ocorreram ainda na província de al-Anbar e no sul da capital.

Ofensiva iraquiana

Segundo militares iraquianos, tropas do governo retomaram nesta segunda-feira o controle do vilarejo-chave de al-Nasr, nos arredores de Mosul, após destruir seis carros bomba que deveriam atacá-las.

No mês passado, forças de segurança iraquianas lançaram uma ofensiva para recuperar Mosul, a segunda maior cidade do país, que está sob controle dos extremistas do EI.

O Ministério do Exterior turco afirmou que um ataque aéreo realizado pela coalizão liderada pelos Estados Unidos destruiu o consulado da Turquia em Mosul nesta segunda-feira. O prédio era ocupado por integrantes do "Estado Islâmico" desde junho de 2014. Ancara autorizou o bombardeio.

Recentemente, forças de segurança iraquianas, apoiadas pela coalizão liderada pelos americanos, conquistaram diversas vitórias contra os extremistas. Em retaliação, o EI promove atentados à bomba contra civis. Segundo as Nações Unidas, ao menos 1,1 mil iraquianos morreram e cerca de 1,5 mil ficaram feridos somente em março, um aumento significativo com relação ao mês anterior. Em fevereiro, o conflito matou 670 pessoas e deixou cerca de 1,2 mil feridos no país.

CN/rtr/ap/afp/lusa

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos