Os dribles fiscais de Messi

Joscha Weber (ca)

Jogador de futebol mais bem pago do mundo volta a ser acusado de sonegação com a divulgação dos "Panama Papers". Para o jornalista esportivo da DW Joscha Weber, truques fiscais do argentino podem estar próximos do fim.

De certa forma, tudo parece familiar: "Eu não olho para o que assino. Quando meu pai diz, assino de olhos fechados", afirmou o jogador argentino Lionel Messi em audiência perante um juiz de instrução espanhol, diante da acusação de ter sonegado 4,1 milhões de euros (quase 17 milhões de reais) em impostos.

Assinar às cegas o que uma pessoa próxima coloca sobre a mesa? Outro ícone do futebol escolheu, recentemente, uma estratégia semelhante de defesa no escândalo em torno da possível compra da Copa do Mundo de 2006: Franz Beckenbauer. Assim como o ex-jogador alemão, Messi também afirma não ter nenhum conhecimento sobre práticas ilegais. Mas pode ser que essa estratégia não ajude mais o argentino.

Com as revelações dos chamados Panama Papers neste domingo (03/04), o melhor jogador de futebol do mundo escorrega cada vez mais num redemoinho de acusações.

O jornal alemão Süddeutsche Zeitung revelou dados abrangentes relativos a empresas de fachada no Panamá, incluindo a até agora desconhecida Mega Star Enterprises. De acordo com os documentos, metade dela pertence a Messi e foi representada, ao menos temporariamente, pela duvidosa empresa de advocacia panamenha Mossack Fonseca. De acordo com o SZ, esse escritório, que administra empresas de fachada, possui ligações com cerca de 20 antigos e atuais ídolos do futebol mundial.

Geralmente, a estratégia é sempre a mesma: um jogador vende seus direitos de imagem a uma empresa fantasma localizada num paraíso fiscal, ligada a ele ou que pertence (parcialmente) a ele. A empresa de fachada, em seguida, vende seus direitos a patrocinadores, para que promovam seus produtos com a imagem do jogador. As receitas são praticamente isentas de impostos - em favor do jogador, de seus assessores e de outras partes envolvidas.

65 milhões de euros por ano: por que sonegar?

Por que Messi precisa sonegar impostos? Diante dos estimados 65 milhões de euros (266 milhões de reais) que o jogador recebe anualmente, a pergunta é pertinente. Essa é a soma faturada pelo futebolista, eleito quatro vezes melhor do mundo, segundo a revista especializada France Football - com acordos de patrocínio, merchandising e um salário exuberante no FC Barcelona 36 milhões de euros (147 milhões de reais) por ano.

O pai e agente do jogador argentino, Jorge Horácio Messi, que conseguiu levar o filho até o FC Barcelona, aparentemente elabora com frequência truques com os quais se podem economizar impostos ou burlar o fisco.

Além dos já conhecidos 4,1 milhões de euros sonegados e que Messi já pagou de volta no decurso do processo, o jornal Süddeutsche Zeitung escreveu agora sobre uma receita de 10,1 milhões de euros (mais de 41 milhões de reais) em contratos de publicidade - com grandes companhias como Adidas, Danone ou Telefónica - que também foram parar nas empresas fantasmas. E nos Panama Papers, também se encontra uma página com a assinatura de Lionel e Jorge Messi, datada de 23 de julho de 2013 - ou seja, bem antes das acusações já registradas contra pai e filho.

"Atos criminosos de ambos os acusados"

Até agora, a estrela do Barcelona não reagiu às acusações, e em sua página na internet também não se encontra nenhuma reação de seu agente. A estratégia de transferir novamente todas as responsabilidades para o pai e de se fazer de inocente pode não funcionar frente à Justiça.

Em 31 de maio, tem início na Espanha um processo em que Messi também está envolvido. O argentino terá de responder perante o tribunal por insistência do Ministério das Finanças espanhol e "indícios de atos criminosos de ambos os acusados [pai e filho Messi]".

As acusações anteriores poderiam resultar numa multa em dinheiro, mas se os investigadores incluírem as novas informações obtidas nos Panama Papers, os dribles fiscais de Messi podem estar próximos do fim.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos