Maduro libera funcionários públicos de trabalharem nas sextas-feiras

Presidente venezuelano decreta que, pelos próximos dois meses, órgãos públicos terão fim de semana prolongado. Medida busca reduzir o consumo de energia elétrica e água no país.

O presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, decretou que durante dois meses os funcionários públicos não vão trabalhar às sextas-feiras, como medida para tentar reduzir o consumo de energia elétrica e água do país.

Maduro anunciou a medida na quarta-feira (05/04), durante seu programa na rede de televisão estatal. "Amanhã deverá sair no Diário Oficial o decreto especial estabelecendo todos as sextas-feiras como dias não laboráveis a partir desta mesma semana, durante abril e maio", afirmou.

Além disso, o governo decidiu que centros comerciais e hotéis terão que passar a gerar nove horas diárias de eletricidade através de fontes próprias, em vez das quatro a que são obrigados já há várias semanas.

"Peço a máxima colaboração de todo o país. Faço um apelo ao país para que assuma este plano de 60 dias, para poder superar o momento mais difícil, de maior risco", disse o presidente.

A Venezuela atravessa um período de secas, atribuído ao fenômeno meteorológico "El Niño", que prejudica o fornecimento de água e eletricidade.

Os críticos do governo afirmam que o sistema elétrico sofre interrupções diárias em razão de anos de atraso na manutenção das usinas energéticas, o que teria contribuído para reduzir a capacidade de geração de eletricidade para 60% do total.

Em meados de março, Maduro chegou a ordenar a suspensão dos trabalhos por oito dias, para reduzir o consumo de energia no país.

RC/lusa/rtr

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos